Bem-vindo ao blog da Santo Angelo!

Cabos e acessórios SANTO ANGELO tem na Music Jungle
Compre já!

Acabou o dinheiro: como vou estudar agora?

Como vou estudar

Por Carla Lima

Olá galera!

No meu último post, tratei da insegurança dos dias atuais que afetam diretamente aqueles que possuem instrumentos musicais de valor (ou nem tanto) e que precisam se deslocar para exercer sua profissão ou estudo. Posso ser roubado? Se ainda não leu, clique aqui para comentar algo que eu tenha deixado passar.

Hoje queria abordar outro tema atual que abala cerca de 70% dos nossos amigos nas redes sociais, que possuem entre 18 e 34 anos de idade e que cursam ou pretendem cursar o ensino superior: as mudanças no FIES (Fundo de Financiamento Estudantil). Em 2015, devido aos cortes nos gastos públicos, houve redução de 42,81% do número total de novos contratos, segundo o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) nessa reportagem do jornal Estadão (clique aqui para ver).

Se você estiver aprendendo a tocar um instrumento musical e se considerar dentro das estatísticas, provavelmente teve que optar por mudar de curso universitário para encaixar os custos dentro do orçamento pessoal (ou familiar, se ainda morar com seus pais). Considere-se um abençoado se não precisou reduzir nenhum dos dois cursos, mas continue lendo porque este assunto pode te ajudar a entender o que se passa com grande parte dos seus conhecidos que sonham em ser músicos, sem descuidar de uma profissão de nível superior.

Nossa pergunta para vocês: como ficam os seus estudos com a guitarra?

Seja qual for o motivo que passar na sua mente que justifique parar de tocar, leia, imprima e coloque em frente ao espelho do seu quarto este link do Whiplash com o título “Guitarra: tocar é bom para sua mente e para o seu corpo”. Isso posto, considere que aprender a tocar guitarra (ou qualquer outro instrumento musical que você goste) é um projeto que deve ser pensado em longo prazo.

Tocar guitarra - imagem 1

Mas e a falta de grana?

Este é o ponto, mas fique tranquilo e continue lendo que logo mais vamos chegar lá. Primeiro, considere que mesmo com dinheiro disponível no seu orçamento (ou da família), as coisas não estão fáceis para ninguém, concorda? Ou seja, cada centavo deve ser muito bem gasto (ou investido) na sua formação, tanto superior como musical. Como hoje em dia existem diversas escolas de música espalhadas pela cidade, assim como várias opções de aulas extras, presenciais ou pela internet, com professores de primeiro nível. Caso você esteja frequentando uma destas escolas, ou tendo aulas online, sua pergunta constante deve ser:

Estou aprendendo e evoluindo como guitarrista?

Falo isso porque você precisa estar convencido da sua própria resposta. Se estiver: parabéns e siga em frente. Se não estiver, é hora de fazer uma nova escolha que se adeque ao seu objetivo de aprender a tocar guitarra, ou qualquer outro instrumento musical, como já mencionei.

Lembre-se que para cada aluno existe uma escola, método ou professor apropriados. Em nosso canal YouTube, tem um vídeo com Airton Mann, endorsee SANTO ANGELO e diretor de uma escola de música em Curitiba/PR, que entende bem desse assunto e de maneira lúdica, explica os vários tipos de professor de guitarra com que você pode se deparar (veja o vídeo). Veja também o do Marcelo Barbosa, outro dos nossos endorsees, diretor de outra escola de música em Brasilia/DF, além de guitarrista da banda “Almah”, que comenta como escolher um bom professor (veja o vídeo).

OK, você precisa cortar este gasto no orçamento.

Em primeiro lugar, não se envergonhe disso ou culpe alguém (principalmente seus pais) por isso. Na atual situação econômica do país, que vai de mal a pior, estamos cortando todos os gastos possíveis e dentre estes, podem estar as suas aulas de guitarra. E se isso acontecer, que tal optar por aprender a tocar sozinho? Esta é uma das opções mais corajosas para não abandonar a música, mas terá que começar organizando os seus estudos, traçando metas e focando no objetivo que deseja alcançar, pois eles é que irão ditar o quanto você precisa estudar.

Tocar guitarra - imagem 1 ok

Por onde começar?

Procure alguém que possa fazer uma análise crítica do seu nível atual como guitarrista. Pode ser um amigo músico mais experiente, um ex professor ou mesmo os seus parceiros nas redes sociais. Muita gente não aproveita essa vantagem em participar dos concursos culturais da SANTO ANGELO, mas quem sabe aproveitar, é uma ótima oportunidade de conhecer guitarristas por todo o Brasil e que estão a fim de ajudar. Está certo que vai encontrar muitos críticos também, mas tudo isso faz parte na sua autoanálise. Depois de ter organizado os seus estudos, você já terá dado um grande passo. Tenha em mente se o seu objetivo é se tornar um grande guitarrista ou apenas aprender a tocar as suas músicas prediletas.

As horas que dispõe para estudar também são de suma importância, pois talvez você estude e / ou trabalhe e vai precisar separar algumas horas do seu tempo para se dedicar, integralmente, aos estudos acadêmicos. O seu grau de facilidade para aprender as matérias escolares irá influenciar diretamente a quantidade de horas que precisará estudar o seu instrumento musical.

Desconecte-se das redes sociais, desligue a TV, vá para um ambiente calmo e silencioso (que tenha uma boa acústica) e dedique o tempo disponível somente para tocar e colocar em prática o que está aprendendo. Este não é um momento para distrações, certo? Isso se chama disciplina.

Tocar guitarra - imagem 2 home studio ok

Agora é hora de escolher qual será a metodologia de estudo, visto que há uma grande quantidade de revistas, apostilas, vídeos e conteúdos online. Mas lembre-se que muitas horas de estudo, com variadas informações ao mesmo tempo, podem te confundir e atrapalhar o seu objetivo.

As escolhas possíveis.

A teoria e a prática, por mais que complementares, são bastante diferentes. A teoria te mostra tudo que existe por trás da execução (montagens de escalas, formação de acordes, ditados rítmicos), enquanto a prática faz com que você exerça o conteúdo teórico e crie intimidade com o instrumento. Por isso, se deixar de estudar, mesmo que seja por uma semana, influenciará diretamente na qualidade do som que irá produzir na guitarra. Tenha isso sempre em mente e mantenha a frequência e a disciplina.

Também é importante que você conheça as limitações da sua guitarra, como, por exemplo, os elementos que a compõem: o corpo, o braço, a ponte (que pode ser fixa ou móvel), os captadores, os trastes, entre outros. Para ajudar, procure em nosso blog os posts que explicam detalhadamente cada uma dessas partes. Este será o primeiro limite para os estudos. Você não vai querer aprender técnicas de alavanca se a sua guitarra tiver ponte fixa, vai?

Com o avanço do ensino a distância, você pode se beneficiar com as mais variadas videoaulas e os conteúdos disponíveis na web (como os diversos vídeos que temos em nosso canal no YouTube). O aprendizado online é o mais viável (e econômico) para quem deseja aprender sozinho tocar qualquer instrumento musical, basta ter um computador ou dispositivo móvel com acesso a internet.

O conhecimento que você precisa pode ser dividido em partes, por exemplo, começando pelos acordes (pois majoritariamente, todas as músicas são formadas por acordes e se você souber todos eles, consequentemente, poderá tocar qualquer música). Entender como montá-los, as regiões que podem ser executados, suas variações (maior, menor, 7, 7M, etc.), os desenhos de escalas e os arpejos são tópicos a se estudar.

Tocar guitarra - imagem 3 acordes  ok

Depois, você deverá saber qual o posicionamento correto dos dedos. Se você não souber as posições corretas, acabará esbarrando em outras cordas e isso vai resultar em um som diferente do que você deveria produzir. Nesta videoaula (clique aqui para ver) sobre Tapping, o professor Airton Mann também te ensina, dentre outras dicas, como os seus dedos devem estar posicionados.

Tenha sensibilidade e percepção em todas as músicas que for tocar.

Agora que você já sabe o básico, é hora de colocar este conteúdo em prática.

Para começar a tocar, a sua guitarra deverá estar afinada e o Dr. Alexandre Berni te ensina neste post, dentre as várias teorias e métodos que existem, o sistema de afinação conhecido como “Buzz Feiten”.

Tocar guitarra - imagem 4 afinação  ok

Guitarra afinada? Você está preparado para escolher uma música e começar a tocar. Antes, faça alongamento e aquecimento muscular (veja neste post a importância de se alongar e neste outro post como você pode se alongar), que irão ajudar na sua desenvoltura e assim contribuir para desenvolver um som de qualidade.

O estilo musical que você escolher tocar irá ditar quais serão as próximas etapas dos seus estudos, visto que cada ritmo exige um conjunto de técnicas específico, como por exemplo o rock, em que é muito comum improvisar usando apenas uma escala. Será necessário estudar todos os conceitos.

Assim, não desista e nunca deixe de aprimorar os seus estudos e adquirir novos conhecimentos. Não pule etapas e se empenhe em atingir os resultados desejados. Meça, todos os meses, o progresso do estudos e avalie se a metodologia de aprendizado e as horas dedicadas a ele estão sendo apropriados. Lembre-se que a pergunta “estou aprendendo e evoluindo como guitarrista?” deve ser constante, mesmo com todas as dificuldades de quem estuda sozinho.

Para terminar, queria lembrar um ditado da minha avó que dizia “não há Bem que dure, nem Mal que perdure”. Ou seja, crises vão sempre existir e saber sair delas mais fortalecidos é uma das nossas obrigações como seres humanos conscientes e produtivos.

Bons estudos e até a próxima!