Descobrindo a origens dos ruídos – estúdio/homestudio

2015-10-28 - FB

por Rafael Cerqueira

Olá pessoal, quem fala é Rafael Cerqueira (também conhecido como Sound Cara) e estou de volta para mais um post sobre áudio profissional. Além dos artigos aqui no blog SANTO ANGELO, você também vai encontrar outros temas que desenvolvo no meu canal do Youtube.

O assunto de hoje assombra muita gente que trabalha tanto em um estúdio profissional quanto em um pequeno home studio. Estou falando da presença assustadora do ruído (ou noise) que aparecem nos monitores ou em nossos headphones de vez em quanto ou sempre que precisamos finalizar um trabalho importante. O Denio Costa iniciou o assunto nesse post.

Será que o estúdio é mal assombrado?

2015-10-28 - 001

Com todo o respeito a quem acredita em bruxas, acho que não. Entretanto, muitas vezes pode ser bem frustrante tentar encontrar um ruído presente durante uma gravação. Apesar de algumas pessoas considerarem uma arte a busca e descoberta desses ruídos, existem algumas pequenas dicas que podem ajudar não só a evitá-los, mas também eliminá-los caso ainda estejam presentes e te incomodando (na medida do possível).

Lembrando que existem alguns puristas que não ligam para o “noise”, dando a impressão de a gravação ser real, humana, muito longe da perfeição (ouça LP’s antigos, cheios de ruídos e entenda meu ponto de vista).

O que pode dar origem a ruídos:

1- Aterramento indevido (ou nenhum, bem comum no Brasil)

Sei que às vezes temos uma tomada de 2 pinos em casa e nos sentimos quase sempre atraídos a utilizar um adaptador daqueles bem baratos para simplesmente conseguir plugar seu equipamento na parede, mas sugiro fortemente evitar esse tipo de atitude.

O uso de aterramento indevido (ou nesse caso nenhum) não só será uma provável causa de ruído, como também pode ser bem perigoso e até causar um acidente (com eletricidade não se brinca, já diziam as nossas mães).

2015-10-28 - 002

Se esse é o caso do seu estúdio, sugiro contratar um (bom) eletricista para fazer um aterramento decente nas tomadas de energia. Pode parecer uma forma mais cara de resolver o problema, mas garanto que valera à pena e que não dará futuras dores de cabeça.

2 – Interferência eletromagnética e por frequência de rádio

As interferências causadas por frequências de rádio podem ser causadas por aparelhos utilizados no dia a dia como um celular, um microfone sem fio ou outros aparelhos bem presentes em nossas vidas. Já a interferência eletromagnética já vem de aparelhos elétricos como o seu PC, o monitor e outros. Esses tipos de ruídos são bem difíceis de encontrar, mas existem alguns fatores que ajudam bastante a prevenir.

2015-10-28 - 003

Uma delas seria colocar o seu equipamento de áudio em um circuito elétrico independente do restante do equipamento presente na casa ou no estúdio. Isso evita, por exemplo, de que quando o condensador do seu ar condicionado disparar e começar a gelar, do nada apareça um ruído na sua gravação.

Outro fator que ajuda bastante é manter todo o equipamento sem fio (como celular, etc.) longe do seu equipamento de áudio (caso não possa desliga-lo na hora da gravação).

3 – Interferência por indução

É importante (e inclusive já citei em um vídeo em meu canal) evitar passar os cabos de áudio e os cabos de força juntos (e paralelos).

Sempre que possível passe os cabos separados e, caso necessite em algum momento cruzá-los, faça isso em um ângulo de 90° graus. Isso evita que o campo magnético dos dois cabos se alinhe causando um possível “vazamento” de corrente para o cabo de áudio que, com certeza, geraria o bom, velho e não tão bem vindo ruído.

2015-10-28 - 004

4 – Cabeamento

Não poderia deixar de citar esse fator importantíssimo que é a qualidade da blindagem dos cabos.

Ao utilizar cabos de baixa qualidade você aumenta razoavelmente possibilidade de adicionar um belo ruído à sua gravação. Vale a pena investir em cabos (e plugues) de qualidade (os já conhecidos SANTO ANGELO) para evitar ruídos indesejados.

Fora isso, também é bom sempre utilizar cabos de áudio balanceados em todas as conexões feitas. Isso também reduzirá bastante a probabilidade de um ruído presente interferir (nesse caso, até um jogo de futebol não faria ruído).

2015-10-28 - 005

Fora toda a parte “elétrica”, também existe alguns fatores na hora de trabalhar o áudio no seu DAW (sua Digital Audio Workstation) que podem influenciar bastante a presença de um ruído em suas gravações, como:

A – Compressão excessiva

Ao colocar muita compressão sonora acabamos deixando mais aparente todo o ruído presente na gravação, pois aumentamos bastante o “piso” (de volume) da gravação.

B – Trabalhar com volume excessivo em algum equipamento

Às vezes, ao dar um ganho excessivo ou trabalhar com alguma peça do seu equipamento com o volume mais alto, ruídos podem ser gerados também. O ideal é sempre tentar manter um bom equilíbrio. Eu já tratei desse tema num post anterior, cuja releitura também recomendo.

E uma boa dica também é adicionar filtros que cortem frequências não utilizadas em cada canal. Isso ajuda bastante a diminuir os ruídos. Afinal, não é todo instrumento (ou voz) que vai de 20hz a 20khz (assim como nossa audição), concordam?

Qualquer dúvida ou comentário sobre como descobriram e trataram ruídos, podem escrever aqui no blog ou através das redes sociais da SANTO ANGELO ou do meu Facebook.

Um abraço e até a próxima!