FINALISTAS DO CONCURSO: GENTE COMO VOCÊ

Por Isis Mastromano Correia

 Meninos, com média de 22 anos de idade e igualmente divididos pelo Nordeste, Sudeste e Distrito Federal do país: esse é o perfil dos finalistas do 2º Concurso Cultural Santo Angelo Curando seu Improviso Gospel.

Foram 626 inscrições ao longo dos 30 dias de concurso. Os cinco jurados tiveram de largar um pouco as suas próprias guitarras e afiar os ouvidos para escolher, depois de duas seletivas, somente 10 entre tantos bons guitarristas.

Boas coincidências aconteceram ao longo do caminho com os estados de Pernambuco, Rio de Janeiro e Distrito Federal conseguindo manter dois participantes cada no Concurso. Maranhão, Paraíba, Bahia e São Paulo angariaram um posto entre os melhores.

Curioso para saber quem é o guitarrista ao seu lado? Quer se inspirar para participar dos próximos concursos? Conversamos com os dez finalistas e compilamos algumas de suas impressões sobre guitarra, música, suas trajetórias e claro, sobre o concurso!

A maioria deu os primeiros passos musicais no início da adolescência como o Amós Dawsley, de Abreu e Lima, Pernambuco, que começou a tocar aos 11 anos. Sobre o concurso ele conta que o incentivo dos amigos pelas redes sociais deu o empurrão necessário para ele participar. “Meus amigos curtiam e pediram para que eu postasse no Facebook meus vídeos tocando. Então vi no concurso da Santo Angelo a oportunidade de mostrar meu trabalho, não só para eles, mas todo o Brasil”, conta animado.

Participação: Amós Dawsley

Participantes como o Emerson Pereira, de Paulista, também em Pernambuco, deixam a lição de que a Música tem de estar na veia sempre e, por isso, a persistência é fundamental. “No ano passado participei pela primeira vez de um concurso da Santo Angelo, o 4 All Americans. Consegui o 5° lugar, fiquei muito feliz, fiz novas amizades”, ele conta.

Participação: Emerson Pereira

Os expoentes nordestinos avançaram pelo mapa e da Paraíba chegou o Gustavo Santana, de João Pessoa. “No Nordeste tem muita gente boa, mas, é um pouco complicado trabalhar música instrumental e vender sua imagem. O concurso é uma oportunidade de mostrar o talento”, avalia. “As vezes penso que é um sonho, tanta coisa boa passa pela minha cabeça. Esse concurso levantou minha auto-estima, veio no momento certo. Eu estava precisando disso!”.

Participação: Gustavo Santana

Clovis Oliveira é o participante que conta que já levou sua guitarra para passear por diversos cantos do Brasil. Ele é produtor musical e já atuou em estúdios em Tocantins, Piauí, Goiás e Pará. “Trabalho ainda com projetos que tiram os adolescentes das drogas levando a música até eles. Agora, estou gravando meu primeiro CD instrumental de rock fusion”, conta.

Participação Clovis Oliveira

Outros já chegaram tarimbados pelo trabalho profissional como guitarristas, como é o caso do Anderson Estima, de Taquatinga, no Distrito Federal. Ele toca na Banda Renovo e com outros artistas e bandas instrumentais. Ele é professor de guitarra, luthier e também produtor musical! Ufa! “Iniciei meus estudos em violão erudito aos 8 anos, aos 12 a guitarra e aos 16 na luthieria”, ele explica. “Participei do Concurso Solo do Mês, em maio, mas, não fui contemplado. Meu segundo concurso é esse no qual sou finalista”.

Participação: Anderson Estima

E o Vinicius Ferrari, de Presidente Prudente, em São Paulo, quase teve “um infarto fulminante” ao saber que estava entre os dez selecionados, conforme ele contou à equipe do blog. “Me sinto honrado e muito feliz, grato primeiramente a Deus, que foi o primeiro a quem recorri pedindo uma melodia que viesse com todo meu sentimento e que tivesse algo a mais, algo que só pudesse vir Dele”.

Participação: Vinicius Ferrari

O Thiago Bruno, de Brasília, explica que adora tocar guitarra, principalmente instrumental. A falta das letras para conduzir os pensamentos é para ele o ponto forte. “Assim, a viagem é pessoal e particular”, explica. “Gostei demais do playback do concurso. Logo nas primeiras improvisações várias melodias incríveis saltaram diante dos meus olhos. Não por acaso surgiram tantas versões maravilhosas”.

Participação: Thiago Bruno

Victor Castro, do Rio de Janeiro, não se fez de rogado e de primeira elegeu Yngwie Malmsteen como sua fonte de inspiração! “Eu participei do primeiro concurso e, mesmo não tendo avançado para as fases seguintes, a repercussão foi muito bacana e por isso resolvi repetir a dose”. E não é que ele fez muito bem em pensar assim?

Participação: Victor Castro

Na vida de Bruno Oliver, de Vitória da Conquista, na Bahia, a canção entrou aos 11 anos quando lhe apresentaram o som da Banda Promessa D. “Quando ouvi aquele som, aqueles riffs e solo me lembro como se fosse hoje, como aquilo entrou em minhas veias e tive uma sensação diferente”, relembra o guitarrista que hoje toca na banda Giom.

Participação: Bruno Oliver

Rodrigo Casttro, do Rio de Janeiro, conseguiu se dar um grande presente de aniversário ao participar. “O tema do concurso me agradou muito e o fato de ocorrer no mês do meu aniversário despertou mais meu interesse. Me programei para gravar, editar e postar exatamente no dia da comemoração. E consegui!”.

Participação Rodrigo Casttro

Ansiosos, os finalistas dão seu veredito sobre o resultado de suas participações. Todos dizem terem saído felizes e lisonjeados tendo em vista que muita gente boa poderia estar entre eles agora. A demonstração de que o Brasil é um celeiro de talentos também ficou claro para todos, fato que confirmamos ao assistir os vídeos dos guitarristas que passaram pelo 2º Concurso Cultural Santo Angelo Curando seu Improviso Gospel.

Semana que vem é a vez das meninas darem o ar da graça por aqui. Vamos falar um pouco da participação delas no evento.

Até lá!