Regulando Pontes tipo Floyd Rose

2015-12-18 - FB

por Dr. Santo Angelo

Tem chegado ao meu “consultório” várias perguntas sobre regulagem de pontes Floyd Rose e pelo tom das perguntas, acredito que esta deve ser uma grande dor de cabeça para os guitarristas. Sabendo dessas dores, compartilho com vocês meu conhecimento, e se ele servir para te ajudar ou aos seus amigos, compartilhe também.

Lógico que aprender a usar as pontes FR também não é uma tarefa nada fácil, mas quando você começar a saber mais sobre este assunto, perceberá que não se trata de um “bicho de 7 cabeças”. Podemos dizer que para quem já leu meus posts anteriores e consegue regular uma ponte de guitarra tipo trêmulo ou uma ponte fixa, as dificuldades serão bem menores nesta “pós graduação” em regulagem de pontes tipo Floyd  Rose.

No entanto, a regulagem deste tipo de ponte exige muita paciência e se você não tem, terá mais dificuldades para seguir adiante. Mas como acredito na sua boa vontade, vamos começar pela anatomia deste incrível mecanismo:

2015-12-18 - 001

1 – Saddles –  mais conhecidos como “carrinhos”:
É a parte aonde prendemos a corda (lock block) e o local de regulagem das oitavas.

2 – Lock Block ou Saddle Block:
Peça em formato cúbico que prende a corda no saddle. O seu ajuste para a fixação da corda é feito através de um parafuso inserido na parte posterior do saddle.

3 – Parafusos de Entonação (ajuste de oitavas):
É o parafuso que fixa o saddle na ponte e também é por ele que regulamos a entonação (oitavas) da guitarra.

4 – Ajuste da Microafinação (Fine Tuners):
Após afinarmos normalmente a guitarra e travarmos o Lock Nut, realizamos o ajuste fino (micro-afinação) por este parafuso.

5 – Alavanca da ponte tipo Floyd Rose:
É a principal peça do mecanismo, pois sem ela não há movimento da ponte.

6 – Lock Nut (trava do nut):
Após afinar o instrumento, devemos apertar os parafusos do lock nut e em seguida realizarmos uma nova conferência da afinação usando os parafusos da microafinação. Neste momento as tarraxas estarão sem ação.

7 – Abaixador de Corda:
Fica localizado no headstock do instrumento e serve para nivelar as cordas com as tarrachas. Existem modelos de guitarras que apresentam ângulo negativo no headstock e desta forma não há a necessidade deste abaixador de cordas.

8 – Molas:
Ficam localizadas na parte posterior do instrumento, geralmente protegidas por um escudo. Servem para regular a ação da ponte e são fundamentais na regulagem, pois devem estar em equilíbrio com a tensão exercida pelas cordas. Por isso, cordas e molas devem ser de boa qualidade, pois devem voltar em sua posição original com precisão, sob o risco de não manter o instrumento perfeitamente afinado.

9 – Spring Clow Hook (prende molas):
Ele fica juntamente com as molas na parte posterior do instrumento. É por ele que você ajusta as molas, apertando ou soltando o parafuso que o prende no corpo da guitarra. Também é nesta peça que muitas vezes aterramos os circuitos eletrônicos da guitarra.

10 – Chaves tipo Allen:
Elas vêm, geralmente, junto com a guitarra, e servem para fazer todos os apertos e regulagens da ponte tipo Floyd Rose.

O primeiro passo é iniciarmos a regulagem da ponte pelo destravamento do Lock Nut. Devo lembrar que a ponte tipo Floyd Rose tem algumas peças fundamentais e que você não poderá perder de maneira nenhuma, como os parafusos do Lock Nut, sem esquecer outra peça fundamental que é o Lock  Block. Portanto faça a regulagem de seu instrumento em um local limpo, com fácil visualização se alguma peça ou parafuso cair no chão. Eu geralmente uso uma caixinha e coloco todas as partes que estou desmontando alí dentro. Lembro mais uma vez que chaves de boa qualidade são fundamentais para não danificar as fendas dos parafusos ou mesmo não se quebrarem durante os esforços de regulagem.

2015-12-18 - 002

O segundo passo, antes de afrouxar as cordas, é colocarmos um pedaço de pano embaixo da ponte para que ela não fique apenas com a pressão das molas tracionando para trás, que poderá até riscar o corpo da guitarra.

2015-12-18 - 003

O terceiro passo é soltar a corda do Saddle após afrouxar as extremidades nas tarraxas. Caso você só for trocar as cordas sem precisar regular a ponte, desde que pelo mesmo calibre (ou bitola) do encordoamento, eu o aconselho a trocar duas cordas por vez para que não altere a tensão das molas e necessite regular a ponte novamente.

Após realizar a limpeza geral na ponte e também no instrumento, assim como fizemos nos outros “posts”, vamos colocar as cordas e iniciar a regulagem propriamente dita. Lembre-se de apertar bem o parafuso atrás dos saddles para as cordas não se soltarem.

2015-12-18 - 004

Quando terminar de colocar as cordas e realizar a primeira afinação, tracione a corda para que ele sofra uma de suas primeiras tensões, mas com cuidado para não soltar do saddle da ponte. Até este momento não é necessário travar o luck nut pois estamos, de certa forma, estabilizando a corda.

2015-12-18 - 005

Após inúmeras afinações e re-afinações (muita paciência, lembra-se?) você perceberá que a ponte estará desnivelada em relação ao corpo da guitarra. Este nivelamento, que é fundamental para o bom funcionamento da ponte, se dá quando equilibramos a tensão das molas com a tensão exercida na ponte pelas cordas. Faz parte deste nivelamento também a altura da ponte sendo controlada através dos parafusos (pivôs), assim como qualquer outro tipo de ponte com trêmulo.

2015-12-18 - 006

A figura abaixo mostra as três situações em uma ponte  tipo Floyd Rose sendo a de numero I é a posição ideal:

2015-12-18 - 007

Posição II:

Maior tensão das cordas em relação às molas. É necessário aumentar a tensão das molas. Para isso, você precisará apertar os parafusos que prendem as molas na parte posterior do instrumento.

Posição III:
Maior tensão das molas em relação às cordas. É necessário soltar lentamente o parafuso que segura o “prende molas”.

Quando eu disse que é um exercício de paciência estava me referindo a este momento, pois devemos fazer estes apertos ou desapertos mediante novas afinações do instrumento. A estabilização da ponte se dá quando conseguimos igualar as tensões entre cordas e mola deixando a ponte nivelada.

2015-12-18 - 008

Após estes repetidos exercícios de afinação, você deverá travar o lock nut e em seguida afinar novamente usando o parafuso da micro-afinação. Em seguida deve verificar se a ponte não desnivelou novamente. Caso isso ocorra, solte o Lock Nut e aperte ou solte o parafuso das molas.

2015-12-18 - 009

Agora que você conseguiu este equilíbrio de tensão com nivelamento da ponte, vamos para o próximo e último passo que  é a regulagem das oitavas ou também conhecida como entonação.

2015-12-18 - 010

Neste momento não é nada diferente que os outros “posts” que colocamos neste Blog, a não ser o cuidado que você deve tomar ao soltar o parafuso da entonação, pois com a tensão da corda o carrinho “corre” muito rápido em direção ao braço da guitarra.

2015-12-18 - 011

A corda solta deve ter a mesma afinação da corda apertada na décima segunda casa em todas as cordas.

Bem amigos, espero ter ajudado a iniciar um estudo sobre regulagem de pontes tipo Floyd Rose e aguardo seus comentários e perguntas. E se quiserem se aprofundar mais na arte da manutenção e regulagem de guitarras, acompanhem sempre o blog e baixem nosso e-book “A Saúde da Guitarra” gratuitamente neste link.

Até o próximo post e um grande abraço.




12 comentários em “Regulando Pontes tipo Floyd Rose

  • 14 de Maio de 2013 em 16:56
    Permalink

    Belo post!! O complicado desse procedimento é movimentar o carrinho com a tensão da corda puxando em direção ao braço! Acho que é a segunda parte que exige mais paciência, depois de todas as afinações e re-afinações durante as outras regulagens!

    Resposta
  • 3 de julho de 2013 em 11:15
    Permalink

    muito bom esse post, estava com problema ao regular minha guitarra, a minha corda mizinha não parava na alavanca tive que trocar saddle, e na hora de regular a altura das corda espanou o parafuso da ponte, mas deu para regular

    Resposta
  • 22 de abril de 2014 em 9:27
    Permalink

    o post é muito bom, é normal uma guitarra com floyd rose não achar a oitava empurrando o carrinho tudo pra frente ou tudo pra traz as oitavas ainda não arrumaram

    Resposta
  • 31 de outubro de 2015 em 13:55
    Permalink

    tenho uma ibanez com floyd gotoh, a alavanca é muito sencivel, comprei agora aquelas molas meio azuladas e menor pra dar mais tensão. pergunta: melhor colocálas retas ou as da ponta em V?

    Resposta
  • 13 de novembro de 2015 em 5:25
    Permalink

    Mano gostei muito da sua explicação sobre a troca e a regulagem de cordas e pontes floyd rose valeu me ajudou muito um abraço e continue com esse ótimo trabalho.

    Resposta
  • 13 de novembro de 2015 em 12:41
    Permalink

    mt bom o post,mas eu estou com uma duvida,eu consegui regular a minha guitarra com floyd rose de acordo com o que é descrito no post,porém ela perdeu o agudo,as notas estão mais graves do que era antes,principalmente notas oitavadas,alguem sabe me dizer o que aconteceu?alguem pode me ajudar?

    Resposta
  • 20 de março de 2016 em 22:20
    Permalink

    TUDO MUITO ENFEITADO E BEM EXPLICADO, PORÉM ESQUECIDO QUE AS PONTES FLUTUANTES ACESSÍVEIS QUE TEMOS NO BRASIL SÃO DE FABRICAÇÃO ASIÁTICA E AMAIORIA EMPREGA LIGA DE ZINCO NOS SADDLES – CARRINHOS E NO BLOCO. LIGA DE ZINCO É UM MATERIAL DE CUSTO BARATEADO CUJA FRÁGIL RESISTÊNCIA E LEVEZA NÃO SE COMPARA AO AÇO E AO BRONZE UTILIZADO NAS PONTES ORIGINAL FLOYD ROSE, SCHALLER, GOTOH, KHALLER E ENTRE OUTRAS, AFORA QUE A PRODUÇÃO ASIÁTICA EM LARGA ESCALA SE
    VALE DE MÃO DE OBRA BARATA E CONTROLE DE QUALIDADE DUVIDOSO.

    Resposta
    • 30 de março de 2016 em 7:56
      Permalink

      Agradecemos seu elogio. A intenção desse texto é ensinar alguns procedimentos para a troca de cordas de uma ponte tipo Floyd Rose, não explicitando nenhuma marca específica, visto que temos várias qualidades e tipos de pontes no mercado nacional.
      Um abraço.

      Resposta
  • 19 de abril de 2016 em 3:13
    Permalink

    Boa noite, excelente post, ajudou bastante.
    Uma dúvida.
    Após ter feito todos os procedimentos, geralmente senti dificuldade na hora de afinar.

    O que acontece é que por exemplo. Enquanto vou afinando certas cordas, as outras vão levemente desafinando, e isso fica acontecendo constantemente, de modo que nunca é possessivel deixar todas as cordas perfeitamente afinadas.
    Existe um procedimento para resolver isso, foi feito algo errado? ou tem a ver com a qualidade da ponte?

    Resposta
  • 13 de outubro de 2016 em 10:21
    Permalink

    si eu tirar todas as cordas para dar uma limpeza da guitarra vou ter que regular o tensor ?

    Resposta
  • 27 de março de 2017 em 23:43
    Permalink

    Eu gostei muito, foi uma luz pra mim principalmente no que se refere a regulagem das oitavas que eu nem sabia como que era!!! Agora eu sei pow, valeu!

    Resposta

Deixe uma resposta para Peter Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *