Sobre guitarras e fábulas

por Dan Hisa

Em uma vizinhança não muito distante, cercada de altas árvores e animais noturnos, algo estranho ocorria. Moradores diziam que, todas as noites, ouviam rugidos altos, como de um grande urso e gritos incessantes após o término desses urros. Eles pareciam saídos de um quarto, em uma pequena casa. O que será que acontecia lá? Assassinatos, sacrifícios de animais? Ou apenas um garoto treinando a sua guitarra? Nunca saberemos.

Essa pequena história é para ilustrar na sua imaginação nosso post de hoje, que não está tão voltado para contos fantásticos, mas para alguns mitos que foram criados para esse instrumento tão querido, a guitarra.

AFG 003

Em vários posts aqui no blog, temos mencionado as fábulas que envolvem as guitarras, desde que foram criadas. Desde histórias de quem tocou (lembra-se do Paganini e do Robert Johnson?) até alguns mitos sobre o próprio instrumento e seus periféricos. Sem esquecer que até o violão também tem uma história brasileira bem legal e para conhecer, basta clicar aqui e adquirir seu ebook “A Saúde do Violão” e conferir, junto com dicas de manutenção e regulagem. Assim, hoje vamos falar sobre 8 assuntos que parecem ser verdade, mas podem te enganar. Veja se já ouviu algum:

Só é bom guitarrista (músico) quem tem talento nato.

O que você acha dessa afirmação? Seria muito ruim se só os “gênios de berço” conseguissem tocar bem, não é verdade? Sabemos que o talento nato facilita no aprendizado (o que uma pessoa normal demoraria um mês para aprender, a outra faria em 1 semana) mas não é certeza de sucesso. Ouvimos em certa ocasião, que um músico sem “talento” pode se tornar melhor que alguns dos mais talentosos, porque precisa estudar arduamente para se superar sempre e para atingir o nível daquele que nasceu com facilidade para tocar. Logo, falta de talento nato não é restrição para tocar bem um instrumento musical.

Qual é a melhor guitarra do mundo?

Perguntar isso é a mesma coisa que questionar alguém sobre qual é o melhor time de futebol, que obviamente, será o time do coração de quem responder. Guitarra é a mesma coisa. A Strato, que é maravilhosa para você e o seu som, pode ser um pedaço de madeira fino e inútil para o aficionado em Les Paul´s. Respeite o seu gosto e o dos outros, pois a melhor guitarra é aquela que melhor se encaixar com seus gostos, não importando modelo, marca ou qualquer outra especificação mais consagrada pela maioria.

AFG 001

Quanto mais peças (emendas) de madeira, pior o som.

A fábula diz que o som piora. O fato é que ele perde um pouco de Sustain, devido as interrupções no corpo, porém ser melhor ou pior vai da qualidade da madeira usada. Se você usar 3 peças de Mogno de alta qualidade na construção da guitarra o timbre será definitivamente melhor do que uma feita com 3 peças de compensado de “applebox” (aquelas caixas de madeira reutilizada usadas para carregar frutas).

Comprei uma guitarra japonesa Custom Hand Made da Caparison. Vou ter o som do Mattias “IA”?

Essa pode te desanimar, mas você não vai ter o som do “viking” por causa de uma guitarra, dos trastes “tortos”, pedais ou amplificadores. E ainda sinto dizer, que mesmo você comprando exatamente o mesmo set que ele usa, muito do som está na pegada do artista. Se quiser e treinar, você pode chegar próximo, mas a assinatura do som do Mattias ou de qualquer outro guitarrista excepcional, é igual uma impressão digital: elas podem parecer iguais, mas alguma coisa nela será diferente para que saibam que é você ou outro músico.

Quanto maior o amplificador, mais distorção e mais volume.

Sabem aquela parede de amplificadores nos show de Rock, que parecem gerar todas as “toneladas” de ondas sonoras? Ela é uma pegadinha. Às vezes são só as caixas externas (sem os alto falantes) para enfeitar o paredão. Ou seja, o som normalmente vem de um pequeno amplificador microfonado (escondido do público) e mandado para a mesa de mixagem, processado e depois para as colunas do PA (Public Address). Já ouviu o ditado “os melhores perfumes estão nos menores frascos”? É quase isso. Um ampli de potência menor pode saturar com mais facilidade e criar aquele timbre fantástico. Um ampli de 100 watts às vezes nunca será usado “no talo”.

AFG 004

A temida chave de Stand By

Amplificadores valvulados sempre geram essa dúvida. Alguns ligam o Power e o Stand By ao mesmo tempo, outros, clicam o Stand By primeiro e o Power depois. A forma correta de se ligar é primeiro a chave de Power, que começará a carregar o sistema com energia elétrica e esquentar as válvulas, lembrando que quanto mais aquecidas as válvulas estiverem, melhor o desempenho do amplificador. Depois de cerca de 1 minuto, você pode acionar o Stand By e começar a tocar. Na hora do desligar, o caminho é inverso: Stand By primeiro e Power depois. Outras dicas interessantes são: utilizar cabos tipo Stack específicos para conectar cabeçotes valvulados às caixas de som (como o Speaker da SANTO ANGELO); e quando desligado, aguarde o ampli esfriar.

Cordas não duram mesmo, vou ficar comprando as baratinhas.

Se você quer que o seu timbre dure mais tempo, invista nas cordas. Os materiais utilizados em cordas de qualidade (como as da SANTO ANGELO) absorvem menos oleosidade e umidade dos dedos e mantém o brilho por mais tempo. E pare de preguiça. Logo que terminar de tocar, passe uma flanela seca nas cordas (uma de cada vez, de preferência) para retirar o excesso “suor” da sua mão e conservá-las. Existem produtos específicos que também são passados nas cordas que ajudam com a durabilidade, mas só a flanela ajuda muito na conservação dos encordoamentos.

Qualquer cabo serve

Essa afirmação é ouvida muitas vezes, quer dos vendedores das lojas, quer de músicos mais céticos. Mas vamos pensar no seguinte exemplo: você comprou uma Lamborghini (um carro esportivo italiano, concorrente mais caro que da Ferrari) e resolve, para economizar dinheiro, colocar pneus meia vida ou até recauchutados. Você não conseguirá o desempenho máximo do carro e ainda pode se prejudicar com pneus de baixa qualidade. Com os cabos o papo é o mesmo. Invista um pouco mais, pois melhores cabos (como os fabricados pela SANTO ANGELO) deixam seu timbre mais fiel (guitarra e pedais) e é através dele que o sinal da sua guitarra vai chegar nos amplificadores. Confira nossas linhas clicando aqui.

AFG 002

E ai, já tinha ouvido ou conhece outras fábulas e mitos sobre as guitarras? Conte para nós e vamos continuar difundindo informações para evoluirmos sempre.

Até a próxima.