Somando Drives: Pedal Stacking

2016-04-04 - FB

Fala pessoal, tudo bem?

Eu já abordei no blog que não somos donos da verdade e sempre que possível iria reproduzir outros posts (desde que autorizado, é claro) que considero ser de interesse geral dos nossos amigos guitarristas.

Conversando com nossos amigos da GuitarTech/RJ sobre conteúdo online, acabamos trocando conhecimentos entre nossos blogs para que nossa missão não pode parar (que com certeza é compartilhada por eles) de compartilhar informações relevantes.

Por isso, segue um post muito legal que o André Batista fez para o blog da GuitarTech/RJ falando sobre Pedal Stacking. Aproveite esse conhecimento para aprender mais e evoluir cada dia como guitarrista.

Boa leitura.

—–

Olá, meu nome é André Batista, sou guitarrista, produtor musical e gear nerd confesso.

Fui convidado pela “família GuitarTech” a escrever um post para este blog e imediatamente pensei em falar sobre um assunto que me perguntam frequentemente.

Pedal Stacking

2016-04-04 - 001

Pedal stacking, nada mais é, do que somar pedais com níveis diferentes de ganho pra conseguir o seu timbre ideal.

Isso funciona maravilhosamente bem para pessoas que, como eu, gostam de usar um bom amplificador limpo como uma espécie de tela em branco e sair colorindo, adicionando pedais para os mais devidos propósitos.

Muito bem, acredito que a maioria de vocês tenha 2 overdrives ou 1 overdrive e um distortion, ou um distortion e um boost etc.

As regras são basicamente as mesmas para todas as combinações, e quando eu falo regras, estou me baseando em situações que funcionaram bem pra mim em 25 anos de estrada tocando com vários tipos de guitarra e amplificadores, usando inúmeras marcas de pedais nos mais variados palcos.

Também me baseei em dicas de amigos e em horas e horas de pesquisa em sites, vídeos e livros sobre os rigs de grandes guitarristas que eu admiro.

Hoje em dia a maioria dos guitarristas não gosta de ouvir a palavra REGRA achando que a roda deve ser reinventada a cada 108 minutos. Sim eu sei, o board é seu e se você quiser colocar o reverb e o delay antes dos drives e o compressor e o fuzz no seu loop de efeitos, VAI NA FÉ!

Mas, se você quer ajuda pra melhorar o seu timbre ou se gosta de experimentar com os seus pedais, vamos la:

Regra 1 – Ouça a sua palheta!

Isso é importantíssimo. Tocar com muita distorção é mais fácil e o nosso ouvido vai sempre querer passar o ganho do “meio dia”, é quase patológico, mas existe um problema muito grande quando você usa muito drive e muita compressão.

O ataque da sua palheta desaparece, e se o ataque da sua palheta desaparecer pode ter certeza que em uma situação normal de show uma das, ou as duas coisas a seguir, vão acontecer.

1 – Ninguém vai entender o que você esta tocando e a sua guitarra embolara na mix;

2 – O técnico de som vai te equalizar “até umas horas!” E vai acabar com o seu som.

“Ah, mas em casa eu ouço tudo, tá um puta som!”

Por favor, não confunda o som que você tira na sua casa com o som que vai tirar no palco.

“Ah, mas no rig rundown do fulano ele marca os settings dos pedais com fita, ou seja, ele encontrou o som dele e nunca mais mudou”.

Pode até ser, mas lembre de que ele usa sempre os mesmos amplificadores que são super bem cuidados pelo guitar tech dele, além de tocar quase sempre no mesmo tipo de palco e ter os mesmos técnicos de som. E mesmo assim isso esta sujeito à alteração. Não acredita em mim?

Se o setting dos amplis muda de acordo som a sala, com certeza o setting dos seus drives vai mudar também, até porque, cada overdrive vai soar diferente em cada amplificador e em cada guitarra que você tocar.

Diminuir a quantidade de drive é algo assustador, porque você ganha definição ao seu som e consequentemente qualquer erro aparece. E como se resolve isso?

Estudando mais! Você vai ser um guitarrista mais preciso, dinâmico e com um som de guitarra mais definido e com dinâmica. E isso nos leva a:

Regra 2 – Escolha bem a ordem dos drives

Eu poderia enfeitar o pavão por horas falando de transistores, diodos, chips, buffers, etc, mas o que mais vai te interessar é:

O Overdrive que será empurrado é o que vai dar a característica sonora maior ao seu som geral. Ou seja, se você usa um pedal X, por melhor que seja, pra empurrar um Tube Screamer, você vai ter o mid hump do TS de qualquer forma, a não ser que você fique que nem um louco equalizando antes pra cortar, o que eu não aconselho.

Se você quer equalizar a características sonoras do seu drive, use um pedal de EQ como boost depois do seu drive and go nuts. Essa dica do EQ também funciona muito bem no efx loop do amp. #ficaadica

2016-04-04 - 002

Regra 3 – Volume não é ganho!

A compressão do ganho do seu pedal vai te dar a leve impressão de volume, mas pode ter certeza de que na mix nada vai adiantar.

É só pensar em duas coisas:

1 – No Brasil nenhum técnico de som gosta de guitarra alta, toda e qualquer mix é sempre voz e bumbo, sad but true. Isso é o resultado de 50 anos da cultura banquinho e violão com voz sussurrada e todo mundo achar bonito aquele som de bumbo batendo no peito.

2 – O conceito básico de um compressor é elevar o sinal mais baixo e segurar os picos.

Tendo entendido isso, você deve escolher o que você quer.

– Se você quer mais volume pro seu solo, o seu pedal mais próximo do ampli deve ser usado como um clean boost pra elevar o som do seu pedal principal, que pode estar com mais ganho.

– Se você, assim como eu, tem um pedal que fica ligado o tempo inteiro para o seu som crunch e clean (abaixando o volume da guitarra) e quer empurrar esse pedal com outro (OD, Dist ou Fuzz) você vai ter que mandar uma boa quantidade de volume no pedal que vai empurrar.

“Ah, mas tem um monte de guitarrista que empurra o ampli ou o OD com um compressor pra solar”.

Sim tem, mas eles também têm um técnico de som pago por eles pra aumentar o volume da guitarra no PA e nos monitores. E sempre lembrando que a mix ao vivo de qualquer banda gringa tem guitarra muito mais alta do que nas mix daqui.

2016-04-04 - 003

Regra 4 – Volte o ganho do pedal com mais drive.

Quando você chegar a um som “confortável pra solar“, volte um pouco o ganho do pedal com mais drive. Confie em mim, vai melhorar o seu som.

Lembrando que essas dicas valem pra uso no ampli clean, o resto é assunto pra outro dia.

Grande abraço!

André (Facebook/Youtube)

—–

Esperamos que tenham gostado dessas informações e que elas agreguem mais à sua estrada na música e na guitarra. Comente aqui no blog e nas mídias sociais as melhorias que teve aplicando esses conhecimentos.

Até a próxima.