Woodstock Music Festival – Um legado de 50 anos

Fala meu querido leitor, tudo bem? Se for sua primeira vez aqui no blog SANTO ANGELO, seja muito benvindo, ou muito benvinda, porque juntos, sempre poderemos aprender muito mais.

Certamente você nem era nascido quando aconteceu o festival de rock mais famoso de todos os tempos, em uma fazenda na cidadezinha americana de Bethel, a cerca de 160 quilômetros de Nova York, entre os dias 15 e 18 de agosto de 1969.

Woodstock é o nome da cidade escolhida originalmente para abrigar os shows, mas que cabou não rolando. Depois de idas e vindas, os organizadores desistiram da cidade e alugaram uma fazenda em Bethel mesmo, menos de um mês antes da abertura do festival.

Para não criar mais confusão, o nome original, Festival de Música e Artes de Woodstock, permaneceu. Os quatro rapazes (o mais velho tinha 26 anos) que organizaram o evento tentaram sem sucesso levar John Lennon, Bob Dylan, The Doors, Led Zeppelin e Frank Zappa ao palco da fazenda, mas quem confiaria, pelo que leu até agora, que um evento desses seria um sucesso?

Apesar desses monstros sagrados terem ficado de fora, outras estrelas – The Who, Joe Cocker, Janis Joplin, Santana e Jimi Hendrix, entre outros – aceitaram o convite e fizeram shows históricos.

O festival, que estava previsto para durar três dias, acabando à meia-noite do domingo, mergulhou na semana seguinte. Para dar uma ideia, Hendrix começou a tocar na segunda-feira, às 9 da manhã.

Bem, o resto é história e você encontrará um vasto material jornalístico sobre o evento, dentre o quais separamos esse da Cultura Mix para entender a influência desse festival nas várias gerações seguintes de músicos, inclusive brasileiros.

Claro que não é qualquer cabo espiralado, como várias marcas lançaram nesse ano que vai fazer você tocar como um guitarrista daquela época.

Estou falando de muito estudo e dedicação para entender as influências das décadas de 60 e 70, que oxigenaram, entre outras, a forma e as técnicas de se tocar uma guitarra.

E para nos explicar o legado que o Festival de Woodstock representou, convidei o mais novo parceiro da SANTO ANGELO: Ricardo Marins, músico e produtor musical com mais de 25 anos de carreira.

Ricardo também participou da direção artística de grandes reality shows do Brasil, entre eles “The Voice Brasil”, “The Voice Kids” e “The Four Brasil”, além dos quadros artísticos no Domingão do Faustão na Rede Globo. Atualmente acompanha a cantora Preta Gil e também atua em projetos solos.

No post de hoje, o Ricardo vai nos contar sobre a carreira como músico e produtor, para entendermos suas referências e a influência do Festival Woodstock na sua formação musical.

_______

Obrigada, Ricardo, por dividir suas experiências com todos os leitores do blog SANTO ANGELO. Desejo-lhe ainda mais Saúde e Sucesso em sua carreira profissional e musical. E seja sempre benvindo!

E quem desejar acompanhar mais de perto o trabalho do Ricardo Marins, basta clicar nos links das redes sociais abaixo:

https://www.facebook.com/RicardoMarinsOficial/

https://www.instagram.com/ricardomarinsoficial/?hl=pt-br

Só lhe peço que compartilhe esse conhecimento com seus amigos e amigas nas redes sociais, para que mais pessoas possam crescer musicalmente ouvindo o depoimento do nosso parceiro Ricardo Marins.

Abraços e até a próxima!

——–

Lygia Teles, é Relações Públicas e especialista em Gestão de Marketing pelo SENAC-SP. Desde janeiro/16 integra a equipe de Marketing e Comunicação da SANTO ANGELO.