ESCOLHENDO POTENCIÔMETROS

Por Alexandre A. Berni

Olá amigos! Hoje vou comentar sobre um assunto polêmico que gera muitas dúvidas entre guitarristas e aprendizes de luthieria: “Potenciômetros”. Eles são, juntamente com fios, capacitores, chaves e captadores, uma parte importantíssima na ligação elétrica da guitarra que vai transmitir todas as nuances de timbre desse instrumento.

Para entendermos o que é “anatomicamente” um potenciômetro, podemos simplificar assim: “é uma Resistência à Corrente elétrica que a atravessa, causando uma dissipação variável dessa Corrente de tal maneira que o valor desta ao final terá sua intensidade menor. Baseado neste princípio. entenderemos mais adiante como escolher os potenciômetros corretamente.

O potenciômetro de Volume tem geralmente 3 terminais: Terra, ligação da Chave ou diretamente o captador e o outro para saída ligada ao Jack da guitarra.

Potenciometro SANTO ANGELO

O Potenciômetro de Tonalidade tem geralmente 3 terminais: Terra, Saída e outro a ser ligado a um capacitor, que tem a função de filtrar a Corrente Elétrica eliminando certas frequências, como aquelas mais agudas geradas pelos captadores, deixando o som mais “abafado”.

Agora que sabemos que o Potenciômetro é uma Resistência Elétrica, podemos entender porque é tão difícil fazer a opção correta, pois a escolha errada do potenciômetro poderá afetar o timbre de sua guitarra, alterando o captador e seu ganho também.

A frase que mais encontramos na internet é: para captadores Singles ( bobina única ) utilizamos potenciômetros de 250K Ohms e para captadores Humbuckers ( bobina dupla ) utilizamos 500K Ohms.

As fábricas costumam também seguir um padrão, utilizando potenciômetros de 250K Ohm para sistemas com apenas captadores Singles (bobina simples) e de 500K Ohm para guitarras com Humbuckers (bobina dupla). Para sistemas ativos utilizam outros valores, os mais comuns são os de 25K nos EMG e 100K nos Seymour Duncan.

Vamos agora complicar um pouco mais. A minha pergunta para voces é: “quais potenciômetros escolher quando misturamos captadores Singles com Humbuckers ?”

A resposta tem um caráter muito pessoal e quem quiser se aprofundar nesta arte da “Elétrica das guitarras” deverá fazer este teste. Nada melhor do que aprender com suas próprias experiências. Particularmente quando eu tenho captadores Singles e Humbuckers eu utilizo todos os potenciômetros de 500K Ohms, mas alerto, é meu gosto pessoal e não uma regra. Nesta minha opção os captadores Singles ficaram mais “brilhantes”, mas faz uma boa combinação quando colocado em paralelo com um Humbucker através do posicionamento da chave. Eu não coloco o potenciômetro de 250K Ohms para não “abafar” o captador Humbucker.

Cabe a você agora fazer o seus testes e encontrar a melhor opção para o seu gosto.

E aquela letra? B500k ou A500k o que significa?

Guitar Parts – SANTO ANGELO

Simplificando:

Letra A – Logarítmico: É o potenciômetro que fecha praticamente todo o som logo no começo do curso do knob. Normalmente é utilizado no Volume e muitos guitarristas gostam pelo efeito que proporciona no timbre quando usado na distorção. Quando diminuímos o volume, a distorção diminui e o timbre vai ficando mais “limpo”, ou melhor, com menos distorção.

Letra B – Linear: É o potenciômetro que fecha o som mais lentamente. Quando você gira o knob até a metade do seu curso, ele fechará metade do som. Normalmente é utilizado como função “Tone”.

Eu não vou colocar nenhuma equação matemática neste post sobre a diferença entre Linear e Logarítmico para não desmotivar ninguém e nem lembrarmos as aulas torturantes de Matemática. Vamos apenas entender os conceitos acima de maneira simplificada.

Eu tenho trocado muitos potenciômetros em minhas guitarras e de amigos e não obedeci muito esta regra de A ou B, porque acredito que da maneira como eu toco guitarra não influenciou muito. Assim, como disse no começo, o gosto pessoal é importante nesta escolha de potenciômetros, vale a pena você fazer o seus testes e encontrar a melhor resposta para o seu gosto pessoal também.

Os potenciômetros tem outra característica muito importante, principalmente na hora da compra, que é o tamanho do eixo roscado. Para não ter surpresas desastrosas, siga a regrinha simples abaixo:

Guitarras com escudo: tipo stratocaster: eixo roscado curto.

Guitarras com os knobs direto na madeira: eixo roscado médio.

Guitarras modelos LesPaul: eixo roscado longo.

Bem amigos, no próximo post falaremos sobre potenciômetros push-pull. Envie-nos suas dúvidas e sugestões para cada vez mais aprendermos juntos sobre guitarras.

Um grande Abraço

Dr. Santo Angelo

22 comentários em “ESCOLHENDO POTENCIÔMETROS

  • 15 de julho de 2013 em 20:18
    Permalink

    Muito bom, esclareceu minhas dúvidas sobre a resistência dos potenciometros e ainda aprende sobre a letra antes do número, que nem sabia que fazia alguma diferença.
    muito obrigado pelas dicas.

    Resposta
    • 16 de julho de 2013 em 13:54
      Permalink

      Obrigado, Jean, pelo comentaraio! Tem alguma dica para o proximo post?

      Resposta
  • 15 de julho de 2013 em 20:26
    Permalink

    Show de bola esse artigo!

    Resposta
  • 16 de julho de 2013 em 21:45
    Permalink

    Gostaria imensamente de agradecer por esse post, e a você, Dr. Santo Angelo, que o redigiu e publicou. Comprei 2 captadores novos, 2 novos potenciômetros, e vou trocar toda a parte elétrica da minha guitarra xing-ling. Tinha dúvidas sobre as nomenclaturas dos potenciômetros, mas, embora os tenha comprado ‘no escuro’, vi agora, pelas definições e dimensões, que fiz as escolhas certas. Ainda bem que tem o blog da Santo Angelo, pra esclarecer as dúvidas dos iniciantes! Continuem esse trabalho valoroso pra nós, amantes da música!

    Resposta
  • 11 de setembro de 2015 em 13:15
    Permalink

    quanto aos captadores humbucker em formato de single(mini humbucker) qual potenciometro se encaixa melhor 500k ou 250k?

    Resposta
  • 20 de novembro de 2015 em 12:33
    Permalink

    tenho uma tagima vulcan ct,e ela ficou sem agudo de um dia pra o outro,isso pode ser o potenciômetro de tone que deu problema,ou será q ela está mal regulada,e qual potenciômetro devo colocar?sou novo nesse assunto de potenciômetros.

    Resposta
    • 23 de novembro de 2015 em 7:31
      Permalink

      Luan, bom dia.
      Podemos pensar de duas formas: ou alguma solda do seu potenciômetro atual acabou soltando ou ele quebrou. Recomendamos que leve em um luthier de sua confiança para que ele verifique o que realmente aconteceu. Abração!

      Resposta
    • 14 de julho de 2016 em 10:07
      Permalink

      Já tentou trocar o potenciometro?

      Resposta
  • 23 de novembro de 2015 em 12:47
    Permalink

    O que acontece se num sistema ativo eu colocar um de 500k??

    Resposta
  • 27 de junho de 2016 em 13:33
    Permalink

    Ótimo artigo! E na questão do formato da base?

    Resposta
  • 23 de março de 2017 em 22:50
    Permalink

    aqui o logaritmico apesar de dar um salto na resistencia é o que faz a guitarra ir soa
    nda graduada, a distorçao vai aumetando aos poucos.

    Resposta
  • 23 de março de 2017 em 22:52
    Permalink

    mas eu queria saber se cada terminal tem um funçao especifica, ir p terra, p chave e toner, ou pode escolher qualquer terminal e fazer a ligaçao.

    Resposta
  • 31 de março de 2017 em 14:30
    Permalink

    tenho um ptenciometro com 5 niveis de overdrive noo tone quero acrescentar este recurso na minha soloist washiburn hss que está com o potenciometro de volume danificado,a dúvida é,posso colocar opotenciometro com push pull santangelo para as das funções?volume e distorção ou não vai ficar legal?esta guita vem com 01 volume /01 tone ewu quero manter o tone e acrescentar o efeito de distorção junto ao volume sem alterar timbles e a estrutura da guitarra sem furos extras.

    Resposta
    • 26 de abril de 2017 em 12:07
      Permalink

      Como ligar somente os cap do braco e ponte com chave de 5 posicoes v t t e sss???n uso o do meio pra nada

      Resposta
  • 9 de junho de 2017 em 12:05
    Permalink

    O artigo está bacana, mas queria saber sobre os potenciômetros de 520k da Gibson, o de 1 mega, da Gotoh, e o Fender NoLoad, de 250k. Qual a aplicação deles, exatamente?
    E o artigo sobre push-pull foi feito? Não o encontrei!
    Abs.

    Resposta
  • 22 de outubro de 2017 em 14:14
    Permalink

    não seria o contrario? A para tonalidade e B para volume?…

    Resposta
  • 4 de dezembro de 2017 em 1:26
    Permalink

    O contrário é melhor!
    Mudei o esquema eletrico, coloquei 7 posições na minha guitarra, mas como meu pot B500k quebrou. Tive que deixar um de A500k. Mas não gostei não, ele fecha o som completamente. Por enquanto é provisório. Mas pra volume o B – Linear sem dúvida! Experiência própria. Vlw Galera

    Resposta
    • 18 de janeiro de 2018 em 2:24
      Permalink

      Eu também uso linear para volume. Na verdade, uso linear para todos. Acho que assim tem mais controle (ou range) na atuação do pot sobre o volume.

      Resposta
  • 8 de janeiro de 2018 em 0:40
    Permalink

    Em um esquema eletrônico de amplificadores Fender há potenciômetros 100K 30c, 250K 30c e 50K 15a.
    O que significa o 30c e o 15a?
    Obrigado!

    Resposta
  • 17 de março de 2020 em 8:15
    Permalink

    Matéria simplesmente sensacional, simples e objetiva, rodei bastante mas encontrei algo que posso mandar para meus clientes e eles entenderem com facilidade. o maior problema é que o Linear é mais comum e mais barato, lá o Logarítmico é muito mais raro de se encontrar e muito mais caro.

    Resposta
    • 17 de março de 2020 em 9:27
      Permalink

      Agradecemos o carinho e disposição em ler e comentar nosso post! Esperamos ter ajudado.

      Resposta

Deixe uma resposta para ADILSON JOSE TELES Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *