Afinação DADGAD no violão

DADGADAOC BLOG

por Tacio Cabral

Olá pessoal, tudo ok?

Hoje estou de volta para continuar os temas sobre violão, aproveitando as técnicas do meu post anterior (se não lembra, clique aqui) para aprofundar mais o nosso conhecimento nesse belo instrumento. Nessa matéria falarei sobre uma afinação alternativa que pode abrir muitas possibilidades nos seus estudos e sons, o DADGAD.

Apesar de alternativa, essa afinação tem se tornado muito popular nos últimos tempos, visto que a afinação padrão pode limitar a criação. No mundo oriental, tem se aproveitado muito esse tipo de afinação.

O pioneiro no uso dessa afinação foi Davey Graham, violonista britânico de Folk, Jazz e Blues dos anos 1960.

Apesar do estilo de afinação ter sido usado por Paul Simon, Ritchie Blackmore e Jimmy Page, quem realmente difundiu e mostrou as possibilidades dessa afinação foi o americano Andy McKee e sua disseminadíssima “Drifting” usando o hoje famoso fingerstyle (que eu estudo incessantemente).

E nessa onda vieram muitos outros artistas e bandas como Sugha Jung, Don Ross, Jon Gomm e Skillet.

Vendo todas essas possibilidades, você pode usar esse tipo de afinação no rock, blues, MPB e qualquer outro estilo que você consiga adaptá-la. Fora a utilização de todos os recursos percussivos do violão (aí já precisa de um estudo mais aprofundado nas independências dos seus membros superiores).

Ela abre um mundo totalmente diferente para violonistas que não querem trabalhar somente com a afinação padrão (EADGBE, já famosa), oferecendo a possibilidade de criar combinações de acordes não disponíveis anteriormente ou disponíveis apenas para aqueles com aberturas de dedos “a lá Paul Gilbert” e suas digitações de pentatônica com três notas por corda. A afinação acaba deixando o som das notas mais cheio e rico.

Para afinar é muito fácil, ainda mais se você tiver um afinador da SANTO ANGELO em mãos (pedal ou clip). A partir do EADGBE, você reafinará apenas três cordas, assim:

  • 6ª corda: Afine de E para D
  • 2ª corda: Afine de B para A
  • 1ª corda: Afine de E para D

Tudo afinado, ao tocar todas as cordas você terá um acorde de Dsus4. Pode parecer estranho no início, mas esta afinação pode ajudá-lo a escrever novas músicas e rejuvenescer o seu senso de melodia.

DADGADAOC 002

Listo então as vantagens:

  • Uso de notas abertas oferecendo um som mais rico para acordes básicos;
  • As relações entre as cordas facilitam o uso de técnicas como fingerstyle e percussão no violão;
  • Permite tocar acordes completos com apenas um dedo;
  • Os harmônicos, principalmente no fingerstyle, dão um complemento bem interessante à melodia.

Um lembrete:

As cifras comuns, caso você queria aprender alguma música, precisarão ser adaptadas a essa nova afinação (programas como Finalle ou  Guitar Pro fazem isso de forma bem simples).

Mas se você realmente quer iniciar nessa empreitada, será necessário estudar mais sobre formação de acordes, pois além das tríades básicas como 7M, m7b5, você tem outra infinidade de combinações que podem te dar um nó no cérebro.

DADGADAOC 003

E com intuito de ajudá-lo nesse aprendizado, disponibilizo um dicionário de acordes para a afinação DADGAD que já vai auxiliá-lo a se familiarizar com as cordas. Como as anotações estão em inglês (ainda falta material brasileiro sobre o assunto), deixo esse miniguia de termos que irão aparecer para te guiar.

  • sus2 – Significa que em vez de usar a 1ª, 3ª e 5ª  notas da escala maior para formar a nota, usa-se a 1ª, 2ª e 5ª notas da escala;
  • Maj – É o mesmo que maior (Major em inglês);
  • no 3rd – Quer dizer sem a terceira (ou sem a terça);
  • no 5th – Sem a quinta.

E aí, topa o desafio?

Comente aqui o que achou dessa introdução ao fingerstyle e as afinações abertas, também deixe suas dúvidas e sugestões. Não se esqueça de acessar as mídias sociais da SANTO ANGELO (Facebook, Twitter, Instagram e Youtube) e visitar o meu blog clicando aqui.

Abraços e até o próximo post!