NAMM Winter 2019: o que mais me impressionou!

Olá, leitor do Blog SANTO ANGELO? Espero que esteja bem!

Meu nome é Alexandre Berni, mas a galera antenada me conhece como “DR. SANTO ANGELO” devido aos posts especializados sobre guitarras  e sobre equipamentos para homestudios  aqui no blog.

Quero aproveitar para desejar à você mais um ano de amadurecimento e aprendizado geral, não só na Música como em sua vida pessoal!

Para quem acompanha a marca SANTO ANGELO, sabe o quanto essa galera incentiva todo tipo de aprendizado profissional. Digo isso, porque há 8 anos fiz grandes amigos por aqui que, sem dúvida, me ajudaram a aprender muito na área comercial, musical, intelectual, etc.

Como a SANTO ANGELO há muitos anos comercializa seus produtos no exterior, mais uma vez tive novamente a oportunidade de acompanha-los na NAMM Show que acontece anualmente em janeiro na cidade de Anaheim / Califórnia – EUA, que é considerada a mais icônica das feiras mundiais voltadas para Instrumentos e Produção Musicais, Áudio e acessórios.

A sigla NAMM significa National Association of Music Merchants, uma associação norte-americana sem fins lucrativos que promove várias atividades para incentivar o mercado mundial  e Educação na área musical.

A feira tem como tradição apresentar as novidades e tendências para os próximos anos e muitas delas já foram bem apresentadas por youtubers brasileiros e estrangeiros em várias redes sociais.

Ocorre que as tendências são muito interpretativas, necessitando “um ajuste” com nossas experiências pessoais, observações e conhecimento adquirido para identifica-las.

Dessa forma, vou procurar expor breves comentários sobre minhas impressões de produtos e expositores, a fim de aguçar sua curiosidade no sentido de querer buscar pessoalmente mais sobre os assuntos que lhe interessarem também.

A visita aos estandes obrigatoriamente passa pelas marcas mundialmente conhecidas tais como: Gibson, Fender, Marshall, Roland/BOSS, Yamaha, Taylor, Orange, Seymour Duncan, EMG, Focusrite, Shure, PRS, Line 6 e muitas outras que têm, como compromisso, apresentar algum produto novo,

Isto não quer dizer que as marcas estão ditando as tendências do mercado, mas contribuem muito. Digo isto, porque tenho observado que empresas menores lançam produtos na NAMM e anos depois as grandes marcas incorporam as ideias.

Esta é a parte da “observação” que mencionei anteriormente, e para quem frequentou nos últimos anos a NAMM é um fato. Lembram-se dos mini pedais que muitos acharam que eram para crianças quando foram apresentados? Até a Fender lançou modelos similares anos depois.

Já escrevi sobre a NAMM no blog SANTO ANGELO, mais precisamente em 2015,       quando mencionei a “pocketização” da música. Apesar da palavra não existir à época, tentei expressar sobre a miniaturização dos equipamentos em pedais, amplificadores, interfaces de áudio, controladores MIDI, entre outros.

Ficou difícil para mim, praticamente um leigo em Modelo de Negócios, saber se aquela tendência fazia parte de uma exigência do mercado da época para redução de custos ou simplesmente a necessidade do consumidor para produtos mais leves, compactos e baratos.

Assim, minha intenção nesse post não é informar sobre os lançamentos que estavam presentes na feira deste ano, pois foram muitos e seria impossível conhecer todos eles, mas achei importante escrever sobre o que modificou depois desta minha observação em 2015 da “pocketização” até os dias atuais.

Para resumir, lançarei outros neologismos ou anglicismos (perdoem-me mas farei isso na falta de termo melhor em Português) para melhor expressar as observações deste ano, além da “Pocketização” citada anteriormente.

A “Homestudização”, “Bluetoothtização”, “Wifitização” e “LEDtização” estavam muito presentes. Eu explico, antes que algum professor ou admirador da Língua Portuguesa desista de continuar lendo.

Neste período de 4 anos, a tendência de mercado observada anteriormente se concretizou e ampliou com as necessárias adaptações junto as novas tecnologias.

Os novos equipamentos apresentam-se de tamanho reduzido, com interação para programação e funcionamento através de Bluetooth e WiFi, principalmente para mesas de som e controladores, assim como as já conhecidas  DIGIMIX.

Aqueles mini pedais, lançados há cerca de 5 anos, já não são mais novidades e poucas empresas ainda os fazem, entretanto as pedaleiras digitais ressurgiram em tamanhos menores e adaptadas às novas tecnologias tais como Impulse Response, Bluetooth e WiFi.

Importante ressaltar que a adaptação de LEDs em acessórios também está em alta, e pasmem, até em correias (STRAPS) já estão adaptando LEDs.

A área de Homestúdio, felizmente, está cada vez mais desenvolvida, pois é uma área que dedico muitas horas de estudo. Os equipamentos analógicos ou digitais demonstrados pelos fabricantes tem apelo para a área de Homestúdio, desde softwares e aplicativos até a interação com os equipamentos analógicos com seu PC ou celular tipo Smartphone.

A seguir, mostro as fotos que fiz para você analisar e, se interessar, procurar saber mais, pois hoje estão amplamente divulgados na internet e redes sociais.

Marshall Studio 20W : JCM 800

ZOOM GCE-3: Interface de Áudio e processador de efeitos de guitarra com interação via USB com Computador.

Controladores de Superfície de vários tamanhos para todos os gostos e “bolsos”:

Não foi uma novidade, mas essa ideia foi incorporada por outras empresas e também com algumas inovações nos efeitos. Particularmente sou muito fã destes agrupamentos de pedais que procuram manter características analógicas, que além de compactos também facilitam muito a vida do músico:

Pedaleiras digitais da HOTONE e MOOER:

Mesas Digitais com uso de IPADS e Celulares:

LEDs:

Enfim, leitor, espero ter aguçado um pouco mais a sua curiosidade para tirar suas próprias conclusões sobre as tendências e fico a sua disposição para responder dúvidas ou trocar outras ideias através das redes sociais ou do próprio blog da SANTO ANGELO.

Grande abraço e até a próxima,

Alexandre A. Berni é médico cirurgião geral, músico, produtor musical e entusiasta da Guitarra. Escreve regularmente para o blog SANTO ANGELO com o pseudônimo de Dr. SANTO ANGELO.