Juliana Vieira: a força de um propósito!

Fala meu querido leitor: tudo bem com você?

Aqui é a Lygia Teles novamente e o tema de hoje, aqui no blog SANTO ANGELO, será sobre redes sociais e como elas podem alavancar uma carreira musical, quer como artista, quer como influenciador do setor.

E antes que você ache que esse é mais um texto promocional dessa ou daquela mídia, já adianto que se trata de uma história real, contada na forma de entrevista com a talentosa guitarrista e mais recente endorsee Juliana Vieira.

Mas antes que ela nos conte suas experiências, nunca é demais lembrar que o blog SANTO ANGELO, assim como a própria empresa em si, sempre ofereceu e oferece oportunidades iguais para todos, independente do gênero, raça e crenças religiosas.

Toda essa política de inclusão está descrita no nosso Manual de Gestão Integrada.

Se você preferir, ao invés de ler esse post, a partir de agora ofereço mais uma opção aos nossos leitores: você poderá ouvi-lo clicando na imagem abaixo. Depois me conte como foi essa experiência.

——————————————————————————————————-

Eu mesma sou um exemplo de como a SANTO ANGELO trata as mulheres que demonstram competência, uma vez que estou encarregada e responsável por todo a comunicação da marca. Porque o que realmente importa e deve ser fator relevante é capacidade técnica de cada um.

Assim, para todos nós aqui, lugar de Mulher é onde ela quiser.

Não importa se é na criação, palco, bastidor, cenografia ou na produção. Mas, claro, sempre fazendo Música e ocupando seu merecido espaço.

Embora o mercado musical seja um reflexo da nossa sociedade patriarcal, imagine quanto poderíamos evoluir com mais gente sendo incluída, não só mulheres, mas também outras pessoas como aquelas do comercial do banco. Ou então, aquelas portadoras de necessidades especiais, como os deficientes visuais para quem estamos dedicando esses posts em áudio?

Por isso, o que acha de fazer sua parte também, incentivando mais a presença feminina nos palcos e na música?

Pensando assim, a gravadora Sony Music criou uma ação em março desse ano, cujo objetivo era realizar uma maratona para ampliar o número de mulheres na música. Confira aqui mais dados dessa iniciativa:

Ficou Inspirado (a)? Então, confira a entrevista a Juliana Vieira que é guitarrista e Sidewoman de uma das principais bandas brasileiras.

———————————————————————————————————-

SANTO ANGELO: Quem é a Juliana Vieira?

JULIANA VIEIRA: Sou uma guitarrista de 24 anos que está vivendo seu maior sonho: Viver da Música. Atualmente, trabalho na turnê do Marcelo Falcão e presto consultoria online para músicos de todo o Brasil, abordando assuntos sobre redes sociais, mercado de trabalho, timbres, estudos, entre outros.

Além disso, crio conteúdo para o meu canal oficial no YouTube com mais de 311 mil inscritos

SA: Como ingressou na carreira musical? Influencia dos seus pais?

JL: Comecei a fazer aula de violão com 14 anos! Tive influencia do meu tio Luiz Rimi. A casa dele tinha várias guitarras penduradas na sala de estar e quando não tinha ninguém por perto, eu pegava e fingia que tocava (rs).

SA: Quais estratégias você utilizou para crescer no YouTube e nas redes sociais?

JL: No YouTube, eu comecei apenas como um hobby e sem muita pretensão. Acredito que, no início, muitos guitarristas produziam conteúdo sem planejamento, só para se divertirem. Adorava assistir vídeos de pessoas tocando as músicas que eu gostava, e pensei: Por que não postar tocando também?

Acredito que a estratégia matadora foi: entender bem o que o meu público buscava, o que gostava e assim procurar maneiras de atender a maioria e fidelizar meus fãs.

O segredo é buscar ao máximo essa interação e ser autêntico nas redes sociais. Além disso, a frequência nas postagens é bem importante.

SA: Você produz bastante conteúdo para as redes sociais. Faz tudo sozinha?

JL: Sim, faço tudo sozinha. Mas, é uma grande correria dar conta de tudo. Preciso ser criativa na hora de produzir conteúdo para o YouTube, que é uma linguagem bem diferente do Instagram e Facebook. Além disso,  respondo com cuidado todos os comentários e directs que recebo diariamente. Não é fácil, mas ao mesmo tempo gosto de ter esse contato direto com meus fãs e todo mundo que curte o meu trabalho. Organizo meu tempo da seguinte forma: produzir conteúdo, editar e responder. Dessa forma, separo um dia da semana para focar nisso e os demais vou fazendo nos intervalos de shows e viagens.

SA: Enfrentou algum tipo de resistência e preconceito por ser Mulher e jovem e bonita?

JL: Infelizmente sim. Isso até hoje acontece. Já ouvi muitas coisas ruins, do tipo: “Apesar de ser Mulher, você toca bem” ou “você podia tocar guitarra de biquíni”.

E várias outras situações, como ser barrada em shows que eu estava indo trabalhar, ser maltratada em loja de instrumentos musicais e por aí vai.

Esse mercado ainda é dominado por homens, quase sempre eu sou a única Mulher da equipe. Às vezes, alguns colegas de trabalho nem percebem quanto são machistas, mas é algo que acontece constantemente, infelizmente.

Graças a Deus, também tenho amigos e colegas de varias bandas que me tratam com muito respeito e profissionalismo no ambiente de trabalho, deixando tudo fluir com mais harmonia e envolvimento, como tem que ser.

SA: Quais são os planos para o futuro? Pretende seguir uma carreira internacional?

JL: Meus planos são continuar trabalhando como Sidewoman. A estrada ainda é a minha parte favorita.  Quero poder ensinar e passar todos esses conhecimentos e aprendizados que vou adquirindo em cada show.

Atualmente, já trabalho fazendo consultoria com pessoas do Brasil todo e pretendo lançar um curso sobre o assunto.

Quero também poder gravar uma EP com minhas músicas instrumentais, que eventualmente posto no YouTube  e em plataformas de Streaming.

Sobre carreira internacional, eu sonho muito em poder tocar lá fora um dia. Quem sabe alguma turnê acompanhando algum artista. Seria maravilhoso!

SA: Qual mensagem você deixa para a galera que almeja seguir profissionalmente na música.

JL: A mensagem que sempre digo é: Arrisque! De a cara a tapa! Seja ousado ou ousada. Mas, acima de tudo, seja você e procure identificar seu estilo musical.

As melhores coisas que aconteceram comigo foram por causa disso. Sempre fiz networking, acredito que conhecer pessoas seja essencial nessa carreira.

Obrigada pela entrevista, Lygia e toda a equipe da SANTO ANGELO. É um prazer enorme fazer parte desse time de artistas, porque sempre utilizei os cabos da marca.

Lembro que, na minha primeira EXPOMUSIC (já faz um tempinho hahaha) eu estive no estande de vocês e fiquei babando assistindo vários guitarristas passarem por lá e sonhando fazer parte daquela família, assim como fazia quando “tocava” as guitarras da casa do meu tio Luiz.

Hoje é uma alegria gigantesca poder realizar e viver meus sonhos.

Pra quem quiser acompanhar meu trabalho, me siga nas redes sociais:

Instagram.com/JulianaVieiraGT

Youtube.com/JulianaVieiraGT

Facebook.com/JulianaVieiraOficial

Um grande beijo para todos os leitores do blog SANTO ANGELO.

———————————————

Obrigada, Juliana, por dividir sua experiência e trajetória com a nossa galera. Desejo-lhe ainda mais sucesso pessoal e crescimento profissional.

E nem preciso te dizer que dúvidas, comentários e sugestões (elogios também são benvindos) podem ser escritos aqui embaixo, ou nas redes sociais da SANTO ANGELO.

Abraços e até a próxima!

———————————————–

Lygia Teles, é Relações Públicas e especialista em Gestão de Marketing pelo SENAC-SP. Desde janeiro/16 integra a equipe de Marketing e Comunicação da marca SANTO ANGELO.