Construindo um pedal de dinâmica

por Dr. Alexandre Berni

Se você leu meu post anterior, sabe que em 2015 vou te ajudar a economizar seu precioso e suado dinheiro, ou recuperando peças que antes a gente descartava como os potenciômetros (leia matéria clicando aqui). O que você acha agora de construir seus próprios pedais?

Você sabe que todo bom amplificador valvulado e a maioria dos pedais de Drive, Distortion ou Fuzz, bem projetados, são bastante dinâmicos quanto ao sinal de entrada. Isso mostra que o projetista do “amp” e do pedal realmente respeitou as características do instrumento e do músico. Sendo assim, a Dinâmica das suas performances é quem mais se beneficia quando você começa a fazer um bom uso dos controles de volume da sua guitarra. Eu sou um usuário de Drive e Distorção de amplificadores valvulados e deixo em segundo plano o uso de pedais. Ajo desta forma porque tenho dificuldades para ajustar o volume de cada um dos efeitos. Desta forma, resolvi construir um pedal de ajuste da Dinâmica que acredito ser a melhor para as musicas que eu toco toda vez que decida reduzir do volume dos pedais.

Dividindo minha experiência com vocês, ensinarei como construir um pedal para que possam regular o quanto de Dinâmica desejam reduzir do volume, mas atuando no pedal, sem precisar acionar o potenciômetro de volume da sua guitarra. É muito útil quando temos um amplificador com apenas um canal de Drive/Distorção.

Os materiais, que você encontra nas boas lojas de componentes eletrônicos, além do ferro de solda e a própria solda, são esses:

PEDAL 1501

  1. Caixa metálica (para maior duração) para pedal previamente furada
  2. 2 (dois) jacks para P10
  3. 1 (uma) chave DPDT 6 polos
  4. Potenciômetro A 500 – Note que, por ser logarítmico, a especificação do potenciômetro deve ter a letra A impressa no corpo. Por que logarítmico? Saiba mais no post “Escolhendo Potenciômetros“.

O primeiro passo, usando o nosso famoso “pregador de lavanderia”, o ferro de solda, material de solda apropriado e alguns pedaços de fio sólido, é soldar o “loop” na chave DPDT como na figura:

PEDAL 1502

Depois disso, coloque a aparafuse a chave dentro da caixa. Vale a pena lembrar que se trata de uma chave True Bypass:

PEDAL 1503

Em seguida, coloque e aparafuse os jacks P10 dessa forma:

PEDAL 1504

Com mais dois pedaços de fios, solde os terminais positivos dos jacks, que conduzirão o sinal da guitarra:

PEDAL 1505

Coloque agora o potenciômetro 500 A e solde no polo central o fio positivo:

PEDAL 1506

O próximo passo é soldar o fio terra do jack P10 junto a um dos polos do potenciômetro. Capriche nessa montagem, utilizando pedaços de fios com isolamentos de cores diferentes, como mostrados nas fotos.

PEDAL 1507

Note que restaram dois terminais sem fios de ligação: um dos polos do potenciômetro e um dos polos da chave DPDT. Faça essas ligações restantes como na figura abaixo:

PEDAL 1508

Agora você pode usar a sua imaginação para escolher um knob bem “cool” para o potenciômetro de volume, alem customizar esteticamente o seu pedal, pintando ou adesivando a caixa conforme sua Criatividade, que por sinal todo músico brasileiro tem de sobra. Eu prefiro deixar o meu mais simples possível.

PEDAL 1509

Bem pessoal, espero que tenham gostado dessa dica. Note que a mesma idéia pode ser aplicada por aqueles que gostam de trocar capacitores de guitarras para verificar a mudança de timbre. Ao invés de desmontar toda a guitarra, toda vez que desejarem experimentar um novo timbre, basta acrescentar o capacitor desejado no circuito que demonstraremos em um próximo post, fiquem antenados.

Até a próxima