No meio do caminho tinha um coronavírus

Fala meu querido leitor ou leitora: muito pânico por aí?

NO MEIO DO CAMINHO TINHA UMA PEDRA 

No meio do caminho tinha uma pedra

tinha uma pedra no meio do caminho

tinha uma pedra

no meio do caminho tinha uma pedra.

Nunca me esquecerei desse acontecimento

na vida de minhas retinas tão fatigadas.

Nunca me esquecerei que no meio do caminho

tinha uma pedra

tinha uma pedra no meio do caminho

no meio do caminho tinha uma pedra

(Carlos Drummond de Andrade)

Se você preferir, ao invés de ler esse post, temos também outra opção aos nossos leitores: você poderá ouvi-lo clicando na imagem abaixo. Depois me conte como foi essa experiência.

Justamente quando nossas “retinas tão fatigadas” brindavam o fim do Carnaval e expectativas que a economia brasileira finalmente pudesse começar 2020 e engrenar um crescimento mais robusto do que os “pibizinhos” dos anos anteriores, lemos estarrecidos as notícias dos primeiros brasileiros contaminados por esse tal de Coronavírus.

E nem preciso escrever que a galera, em pânico, já acabou com os estoques de máscaras cirúrgicas e frascos de Álcool gel nas farmácias, né?

Se você não saiu correndo para comprar esses itens e continua lendo o post, é sinal que já sabe que, segundo o OMS (Organização Mundial da Saúde) a Gripe (e outras doenças infecciosas) mata mais pessoas que o Coronavírus, segundo esse link da revista EXAME

Portanto, muita calma nessa hora e vamos pensar juntos.

Todos temos a missão de informar, com muita responsabilidade, os cuidados necessários para lidar com as doenças contagiosas atualmente ao alcance de qualquer brasileiro ou brasileira menos esclarecidos.

E não adianta justificar que todos os jornais, canais de televisão aberta ou sites de notícias pela internet estão tratando disso desde dezembro de 2019, porque muita gente, infelizmente, ainda é influenciada por fake News, como já tratamos nesse post aqui no blog

Assim, você que é aluno ou professor de Música, e lidando diariamente com outros alunos ou amigos nas redes nas redes sociais tem o dever que levar esse tema para o maior número de pessoas, informando ser imprescindível o cuidado maior com a higiene pessoal para que a propagação dessa e outras doenças contagiosas, seja a mais lenta possível.  

Mas, afinal, o que é o Coronavírus?

É um novo vírus, provavelmente oriundo de morcegos, que tem causado uma doença respiratória avassaladora, segundo dados registrados inicialmente na cidade de Wuhan, na China, considerada o epicentro dessa propagação.

Importante saber que os coronavírus são uma grande família viral, conhecidos desde meados de 1960, que causam infecções respiratórias em seres humanos e em animais, mas até agora de nível leve a moderado, semelhantes a um resfriado comum.

Entretanto, algumas mutações de coronavírus causaram doenças graves com impacto importante em termos de saúde pública, como a Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS), identificada em 2002 e a Síndrome Respiratória do Oriente Médio (MERS), identificada em 2012.

Dado a gravidade dos países atingidos pela propagação do novo vírus, o Ministério da Saúde tem realizado tem monitoramento diário da situação junto à OMS, que acompanha o assunto desde as primeiras notificações, em 31 de dezembro de 2019. Dá uma olhada no “jeitão” dele:

Como o coronavírus é transmitido?

As informações sobre essa transmissão estão sendo estudadas por pesquisadores de todo o mundo, mas é certo que a disseminação do vírus é de pessoa para pessoa, ou seja, a contaminação ocorre por contato.

Infelizmente pessoas com baixa imunidade, como idosos e adultos doentes estão na faixa de risco, uma vez que os dados estatísticos disponibilizados pelas autoridades chinesas indicam que é muito pequeno o numero de crianças, adolescentes e adultos jovens, de até 25, que foram internados por causa do Coronavírus.

Aliás, o que surtiu efeito, segundo divulgado pelas autoridades chinesas, foi o isolamento dos infectados, mostrando que a transmissão ocorre pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas, como: gotículas de saliva, espirro, tosse, catarro, contato pessoal próximo com toque, aperto de mão ou com objetivos contaminados, seguidos de contato com boca e nariz.

Como é feito o diagnóstico do Coronavírus?

O procedimento comum é feito com a coleta de materiais respiratórios, sendo necessária a coleta de duas amostras em casos mais suspeitos.

As amostras serão encaminhadas com urgência para o Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen). Uma das amostras será enviada ao Centro Nacional de Influenza (NIC) e outra será enviada para análise Metagenômica.

Para confirmar a doença é necessário realizar exames de biologia molecular que detecte o RNA viral.

Preste atenção: os casos graves devem ser encaminhados a um Hospital de Referência para isolamento e tratamento.

Como é feito o tratamento contra o Coronavírus?

Até essa data, não existe tratamento específico para infecções causadas por Coronavírus. No caso do novo Coronavírus são indicados repouso e consumo de bastante água, além de algumas medidas adotadas para aliviar os sintomas, conforme cada caso.

Assim que os primeiros sintomas surgirem, é fundamental procurar ajuda médica imediata para confirmar diagnóstico e iniciar o tratamento.

Quais são os sintomas do Coronavírus?

Os sinais e sintomas clínicos do Coronavírus (ou COVID-19 como os técnicos o chamam) são principalmente respiratórios, muito semelhantes aos de um resfriado. Podem, também, causar infecção do trato respiratório inferior como as pneumonias. Atenção os sintomas de febre, tosse e dificuldade em respirar.

Como podemos tirar o Coronavírus do nosso caminho?

Nós, músicos, usamos as mãos para tudo em nossa profissão, não é mesmo? Portanto, tomar o máximo cuidado com elas e onde as colocamos é a primeira das precauções que devemos tomar. E por falar nisso, você sabe como lavar as mãos corretamente? Siga essas simples instruções:

Enfim, leitor ou leitora, esse post não tem a pretensão de esgotar o assunto, responder todas as dúvidas e muito menos criar pânico ou alarmar sobre o vírus, mas sim de prevenção para que você reforce os cuidados pessoais consigo mesmo e com as pessoas que o cercam.

Para saber mais, sugiro ler e acompanhar o blog do Hospital Albert Einstein, que foi o primeiro a receber e identificar os portadores brasileiros do Coronavírus. Anote o link com as perguntas mais frequentes sobre esse tema

Aliás, se quiser comentar aqui no blog outras informações que julgar conveniente para toda a galera que nos acompanha, escreva logo a seguir ou nas redes sociais da SANTO ANGELO.

Abraços e até a próxima!

—–

Lygia Teles, é Relações Públicas e especialista em Gestão de Marketing pelo SENAC-SP. Desde janeiro/16 integra a equipe de Marketing e Comunicação da SANTO ANGELO

Um comentário em “No meio do caminho tinha um coronavírus

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *