Quais as possibilidades de afinação para a guitarra?

2016-05-20 - FB

Olá a todos!

É um grande prazer estar de volta ao blog da SANTO ANGELO, depois do meu último post sobre Tecnologia a serviço da Vontade Humana. Se não se lembra, releia aqui.

Hoje trago aqui um tema menos técnico, mas que certamente lhe será muito útil, visto que nossa criatividade às vezes pede um pouco mais do que o comum utilizado pela maioria.

Refiro-me às afinações alternativas.

Já se falou sobre isso aqui no blog quando a temática foi o Fingerstyle, mas hoje vamos nos aprofundar um pouco mais.

Lembro-lhes que nem sempre a afinação padrão da guitarra, comumente utilizada na maioria das composições (e coloca maioria nisso) é suficiente em termos de sonoridade. Às vezes a necessidade de buscar um novo som, seja ele mais pesado ou somente com uma nova roupagem ou cor diferente, é o que precisamos para alcançar um resultado totalmente novo para uma determinada canção.

Indo até mais além, isso pode definir o seu estilo de tocar, a sua assinatura sonora e a identidade da sua banda.

Assim, a experimentação de um método de afinação diferente do seu instrumento musical talvez seja o que você precisa colocar em pratica para encontrar o tão desejado timbre pessoal. Portanto, siga essas dicas:

Comecemos pela provável afinação que já deve estar acostumado:

  • 6ª corda – E
  • 5ª corda – A
  • 4ª corda – D
  • 3ª corda – G
  • 2ª corda – B
  • 1ª corda – E

Tendo como base a afinação standard, abaixamos a afinação em meio tom. Isso nos trará uma maior vibração das cordas (por estarem mais soltas) e, portanto, um pouco mais de “peso” visto que agora estamos com todas as cordas vibrando em um padrão mais grave.

Amplamente utilizado nos anos 80, esta forma de afinar é muito encontrada nas músicas de bandas como “Metallica”, “Guns n´Roses” e “Skid Row”.

  • 6ª corda – Eb
  • 5ª corda – Ab
  • 4ª corda – Db
  • 3ª corda – Gb
  • 2ª corda – Bb
  • 1ª corda – Eb

Saltemos para a próxima.

A banda Slipknot é conhecida pela agressividade em suas composições. Essa “raiva” não vem somente das letras, mas também do som “matador” das guitarras da banda, que propositalmente encontrou a sua sonoridade em uma afinação não muito convencional, o Drop A.

Fazendo essa afinação a partir da standard, afinamos as 5 primeiras cordas 2 tons e ½ abaixo e a 6ª corda com 3 tons e ½ abaixo.

  • 6ª corda – A
  • 5ª corda – E
  • 4ª corda – A
  • 3ª corda – D
  • 2ª corda – Gb
  • 1ª corda – B

2016-05-20 - 001

Continuando no rock, vamos ao Black Sabbath.

Tony Iommi, conhecido por muitos como o “Pai do Heavy Metal”, tem uma história bem conturbada. Depois de sofrer um acidente, perdendo a ponta de dois dedos, Tony passou também a adotar um padrão de afinação a fim de aliviar a tensão nas cordas, o que veio a dar um som ainda mais “doomish”.

Esse grande guitarrista afinava sua SG em Db (ou C#).

Com base na standard, afinamos 1 tom e ½ abaixo.

  • 6ª corda – Db
  • 5ª corda – Gb
  • 4ª corda – B
  • 3ª corda – E
  • 2ª corda – Ab
  • 1ª corda – Db

2016-05-20 - 002

Do Heavy ao Classic.

Partindo para uma sonoridade mais conhecida dentro do “Rock n´Roll” temos o guitarrista Keith Richards do Rolling Stones (precisava descrever rs..). Neste exemplo, a afinação que é comumente chamada de “aberta”. Explico melhor.

Nessa afinação, quando todas as cordas soltas são tocadas, o acorde produzido é o de G maior. Um exemplo de música que utiliza afinação “Open G” é “Start me Up” (você deve estar cantando ela agora, mas clique aqui e relembre esse clássico).

Usando a afinação standard, você vai baixar 1 tom das cordas E (ambas) e A. Fácil!

  • 6ª corda – D
  • 5ª corda – G
  • 4ª corda – D
  • 3ª corda – G
  • 2ª corda – B
  • 1ª corda – D

2016-05-20 - 003

Shreders não podem faltar.

Hora de analisar os instrumentos “extended-range”, ou seja, àqueles com uma gama maior de sons pesados por possuírem mais cordas. Podemos citar a famosa Ibanez Universe do mestre Steve Vai, que foi uma guitarra revolucionaria no mundo das 7 cordas.

Steve geralmente utiliza o padrão standard, incluindo a 7ª corda com um B.

  • 7ª corda – B
  • 6ª corda – E
  • 5ª corda – A
  • 4ª corda – D
  • 3ª corda – G
  • 2ª corda – B
  • 1ª corda – E

2016-05-20 - 004

Achou que 7 cordas é demais?

Subindo ainda esses números, chegamos aos modelos modernos de 8 cordas! Com certeza guitarras de extremo “poder” de graves e muito peso na hora de tocar. Posso dizer que ainda é considerada uma “novidade” no mundo da guitarra (não conta aquela que você encaixa um iPhone e sai tocando).

O músico Tosin Abasi tem sido o grande embaixador desta novidade, dada a sua técnica para demonstrar, em seu som, “como utilizar” (e pode começar a estudar para chegar nele).

Afinação 8 Cordas – Tosin Abasi

  • 8ª corda – E
  • 7ª corda – B
  • 6ª corda – E
  • 5ª corda – A
  • 4ª corda – D
  • 3ª corda – G
  • 2ª corda – B
  • 1ª corda – E

2016-05-20 - 005

Perceba que essa afinação facilita “power chords” graves usando das cordas 6 á 8. Legal né? Mas temos outras possibilidades como essa:

  • 8ª corda – E
  • 7ª corda – A
  • 6ª corda – E
  • 5ª corda – A
  • 4ª corda – D
  • 3ª corda – G
  • 2ª corda – B
  • 1ª corda – E

Lembrando ainda que a SANTO ANGELO tem um cabo especial para esse tipo de guitarra, que te ajudará a dominar ainda mais os graves: é o Tattoo Maori lançado na Expomusic de 2014 conforme esse post.

Certamente aprender como tocar em uma afinação alternativa pode ser um verdadeiro desafio. Seria como ter que reaprender alguns acordes para cada nova afinação. Por esta razão, muitos guitarristas tendem a explorar uma afinação alternativa por um longo período.

Espero tê-lo ajudado a descobrir uma nova afinação e demonstrado como colocá-la em prática! Eu mesmo utilizo algumas afinações alternativas em minha Ibanez 7 cordas, sempre testando novas possibilidades. Descobrir novas progressões de acordes e com nova sonoridade é a nossa prioridade, concordam?

Deixe um comentário se já utiliza uma destas afinações ou até mesmo sobre outras. Lembrando que as por mim citadas acima não são as únicas, porém, me foquei em alguns exemplos que já estão entrando para o “mainstream” das afinações.

Vamos compartilhar nossos conhecimentos para que cresçamos juntos!

Grande abraço e nos vemos em breve.

Bruno Palma é guitarrista e também Engenheiro Mecânico. É endorsee da SANTO ANGELO, Ibanez e de outras grandes marcas internacionais. Entusiasta de novas tecnologias e amante da boa música, principalmente o bom e velho Rock n´Roll. Desenvolve atualmente um trabalho instrumental e tem ministrado diversos workshops pelo Brasil.