Se é doando que se recebe …

Por Isis Mastromano Correia

Alguém conhece festa sem Música? Pois é, nesse final de ano, se você tem o costume de tirar um ou mais dias para colocar em dia as visitas aos queridos e assim fechar o ano sem pendências de beijos e abraços, que tal incluir na sua agenda uma hora para conhecer um asilo ou centro de permanência de idosos na sua cidade?

Bora agitar uma galera e levar uma festinha pra quem precisa

Pela falta de condições sociais, muitos que alcançam a maturidade no Brasil vão para nessas instituições e até mesmo gente com família bem estruturada pode acabar necessitando de uma casa de repouso particular por diversos motivos.

No fim, o que queremos dizer é que essas pessoas ficam muito tempo ociosas, um ócio que pode ser preenchido com Música, claro, para espantar o tédio e a melancolia que fatalmente acometem muitas delas.

Até hoje batemos em muitas portas e ainda não encontramos uma alma sequer que não goste de Música! E é nela, encarada como uma brincadeira, sem formalidade, que os idosos encontram uma forma de expressar seus desejos muitas vezes encobertos pela vergonha de se expressarem tamanha discriminação, falta de atenção e valor dado aos seus anseios.

Dinâmica com Música para idosos

Esse panorama, de que a Música traz a tona muitas coisas positivas para os mais velhos, foi relatado pelas pesquisadoras Luciana Fonseca de Moura e Anadias Trajano Camargos da Escola de Enfermagem da UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) que estudaram as Atividades Educativas como Meio de Socialização de Idosos Institucionalizados.

As atividades musicais além de, claro, proporcionarem momentos prazerosos, envolvem questões importantes como estimulo aos mecanismos de memória, atenção, percepção, raciocínio, criatividade e coordenação motora. Mas, nesse fim de ano, todo o resultado que esperamos é bem singelo: a alegria de poder alegrar alguém com Música através do seu talento!

Um banquinho, um violão

Se os idosos são sua praia para desenvolver um trabalho voluntário como músico nesse final de ano, mas, você está meio perdido por onde começar, selecionamos algumas atividades expostas no trabalho da UFMG para você adaptar às suas idéias.

Atividade com balão – Lembra da brincadeira do banquinho, onde se dá voltas em torno das cadeiras em circulo até que a Música pare e se corra pra sentar? Essa dinâmica é bem parecida, mas, adaptada aos mais maduros, ganha outros ares. Os participantes ficam sentados em círculo e passam uma bexiga que contem um papelzinho dentro, com uma pergunta escrita. Ao som de Música, o balão deve ser passado de mão em mão e quando a canção parar, a pessoa que está com o balão na mão o estoura e lê a questão que pode ser algo como “o que é ter saúde para você?” ou ainda “qual sua comida predileta?”.

As respostas podem ser seguidas de discussões e as perguntas podem ter temas diversos ou específicos para um debate ou apenas para descontração.

Atividade com palavras e Música – Escreva em pequenos papéis várias palavras como, por exemplo ‘abraço’, ‘amor’, ‘flor’, ‘viagem’. Cada participante sorteia um papel e após ler a palavra escrita deve falar uma Música que contenha a palavra.

Atividade de ritmo e palavras – Nesta atividade o Músico voluntário e o grupo usam palmas ou o instrumento musical para fazer a marcação rítmica para embalar a brincadeira. Enquanto isso, cada participante deve falar uma palavra referente a um assunto escolhido. Se o tema da rodada for frutas ou cidades, todos, em sua vez, devem falar o nome de uma fruta ou cidade, sem repetição até que se esgotem as alternativas! Parece com a brincadeira do CEP (Cidade, Estado ou País), lembra?

Bem, esperamos muito que você reserve um tempinho e doe um pouco da muita Música que carrega na veia o ano todo para quem precisa de um pouquinho dela também!

Ah, e não deixe de nos contar depois como foi a sua experiência!

Até a próxima!