“Uma longa jornada começa com um pequeno passo”*

Lounge Empreendedor

por Dan Hisa

Sabia que aqueles R$ 0,10 centavos da padaria ou a moedinha de R$ 0,25 que fica esquecida no fundo da certeira podem fazer toda a diferença para um controle financeiro que te possibilitará planejar suas aquisições e realizações de grandes projetos e jornadas? Vamos te mostrar que podem sim.

[level-assinante]

No post anterior, falamos sobre um modo bem simples e eficaz de se programar e atingir metas (se você ainda não leu, clique aqui) e por isso, vamos nos aprofundar um pouco mais no assunto Planilhas de Orçamento Pessoal ou Familiar.

Não vamos inventar a roda, mas adaptar o que já existe para o universo dos músicos. Desta forma, vamos nos basear em uma planilha bem completa, porém de fácil preenchimento e entendimento, desenvolvida pelo Gustavo Cerbasi do portal Mais Dinheiro. Para baixa-la, clique aqui.

Já está com ela em mãos? Então a primeira ação é construir um orçamento familiar, anotando todas (repetimos, TODAS mesmo) as receitas (dinheiro que entra) e as despesas (dinheiro que sai). Sabemos que tem o “mas foi só R$ 0,25 no chiclete que eu comprei, não preciso anotar isso!”. Sim, você precisa sem esquecer de alocar esse gasto ínfimo numa conta específica, como por exemplo “Bares e Lanchonetes” para o tal chiclete. Esse hábito deve permear seu Ser Interior sempre que você abrir a carteira (poético, não é?). Pode parecer que não fará diferença, mas imaginemos o seguinte:

Você está com planos de comprar um novo som para o seu carro nos próximos 6 meses (conectado com os novos cabos SANTO ANGELO da linha Paredão, em breve, disponível no site), investimento que te custará cerca de R$ 600,00. Considere como exemplo que todo dia, você sai de casa e passa na padaria e ao comprar os pães, sempre toma um cafezinho de R$ 1,50, valor que você não anota, pois “foi só um café”. E você faz isso de segunda a segunda, todos os dias do mês, logo R$ 1,50 x 30 = R$ 45,00. Em 6 meses, o montante seria de R$ 270,00, ou seja 45% do valor do novo som. Ou seja, você está tomando um pouquinho do seu projeto todos os dias e nunca será capaz de tirá-lo do papel, não é mesmo?

IMG 1

Percebemos que esses gastos diluídos e não anotados parecem não pesar no orçamento, mas eles podem significar a diminuição no prazo da realização dos planos e metas traçadas.

E para que anotar? Pois a partir disso, você conseguirá se planejar melhor e ter uma noção muito completa do que você pode ou não fazer (lembre-se também que temos que fazer concessões e escolhas se quisermos viver plenamente).

Como é um orçamento, faça uma previsão de quanto receberá e de quanto gastará com cada item por mês. Isso dá um pouco de trabalho inicialmente, mas com base nisso, conseguiremos manter uma boa saúde financeira.

Vamos à tabela:

TAB 01

Você trabalha em um estúdio com salário de R$ 2.000,00 (e teve um aumento em março pelo seu ótimo trabalho), não tem esposa e nem filhos. Você dá aulas o que te rendem sempre R$ 600,00 dos alunos (e você precisa emitir nota fiscal). O campo “Bônus e extras” é reservado para seus shows ou trabalhos que você recebe sem comprovantes e perceba que pode variar (a não ser que você trabalhe na área de contratos da Petrobrás). Temos então seu total de receitas previsto para os primeiros meses do ano de 2015.

Agora os gastos: Veja que o detalhamento é grande.

TAB 02

TAB 03

TAB 04

Na parte de Habitação, Saúde, Transporte e Educação, mantemos os valores fixos imaginando que não houve alteração no aluguel e nos preços dos alimentos, seu plano de saúde manteve-se no mesmo patamar, você gasta transporte público apenas no final de semana (na semana a empresa paga seu transporte) e seu curso de Inglês manteve a mensalidade. Porém, nas despesas pessoais, Lazer e outros, resolvemos variar mais.

Como exemplo no vestuário, em janeiro você renovaria seu guarda roupas gastando o dobro do habitual. Perceba que em fevereiro, graças ao Carnaval, você extrapole nos restaurante e bares, mas diminuindo esse valor drasticamente em março, quando resolve passar um final de semana em uma pousada com a namorada, relaxando. Não esqueça as taxas de serviços como os “10% do garçom”.

O resultado seria o seguinte:

TAB 05

O campo “Saldo Disponível no Mês” diz o quanto sobrou para que você invista em outras coisas. Veja que aumentou os seus gastos de um mês para o outro, mas o saldo também variou, já que fevereiro foi um mês melhor para os shows e março, fraco.

Fizemos o exemplo para 3 meses, mas faça-o, na vida real, para o ano todo.

A partir disso, comece a anotar seus gastos e recebimentos (centavo por centavo) dia 01 de janeiro e compare no dia 31. Se você gastou mais do que o previsto, é melhor segurar um pouco o cartão dentro da carteira. Caso contrário, ótimo, você tem uma graninha a mais para investir ou mesmo guardar.

É trabalhoso, mas simples de fazer. Se você adquire esse hábito, com certeza suas conquistas serão bem mais fáceis. Baixe a planilha e comece já o seu orçamento (2015 já está quase ai).

Gostou do post? Faria alguma sugestão, elogio ou crítica? Ou você tem alguma forma diferente de controlar seu orçamento? Comente aqui no blog ou na fanpage da SANTO ANGELO no Facebook. Você é sempre bem vindo e mais opiniões só contribuem com o aprendizado de todos, sempre juntos.

No próximo post, vamos separar Pessoa Física da Pessoa Jurídica, imaginando que você é um profissional que vive da Musica, pode ser? Até lá.

*frase de Lao Tse

[/level-assinante]


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *