Ter um canal Youtube dá dinheiro?

Olá leitora e leitor, tudo bom com você depois da “cinquentena”?

Sim, estamos em casa há mais de 50 dias, portanto a quarentena já era. Falando sério agora, espero que esteja se mantendo em casa, se puder, ou trabalhando de forma segura para evitar que o novo coronavírus te derrube.

Antes de começar o tema de hoje, o que acha de agradecemos a todos que estão na rua trabalhando nas linhas de frente, tanto os profissionais da saúde, que batalham arduamente no tratamento e recuperação das pessoas, como nos demais serviços de segurança, limpeza, financeiro e alimentação?

Aliás, os restaurantes delivery e os entregadores têm sido de grande ajuda tanto para quem está em casa, como para quem mora nas ruas, pois já vi muitos deles distribuindo marmitas para quem não pode pagar.

Por isso, se puder, ajude também, doando e contribuindo para essa galera da linha de frente, sem esquecer que os negócios locais, aqueles perto da sua casa ou no seu bairro, também precisam das suas compras para continuar funcionando depois que toda essa crise passar.

Falando em quem precisa, uma vez que os eventos com público estão proibidos, assim como casas noturnas, cultos de igrejas e escolas, como você, músico de profissão, tem se mantido desde que começou o isolamento social?

Imagino que não está sendo nem um pouco fácil e por isso vamos partir logo para o tema de hoje, que pode te inspirar em um ganho extra.

Assim, queria sair um pouco das questões “ao vivo”, que expus no último post para dar palco ao meu tipo de conteúdo favorito: o programado e pensado.

De todas as plataformas, o Youtube é o que mais te oferece uma biblioteca de conteúdo perene e com qualidade – claro, com os devidos filtros e julgamentos do que de fato é de qualidade.

É nessa mídia social que você encontra de tudo um pouco, das notícias às fake news, da ciência à conspiração, do entretenimento ao conhecimento.

Pensando nisso, e nos cenários durante e pós pandemia, penso ser uma boa alternativa para você começar – ou aperfeiçoar, se já tem – um canal no Youtube.

Os motivos são inúmeros, pensando tanto financeiramente quanto na realização de seus objetivos de reconhecimento e sucesso. Fora que tem como mandar as LIVE’s por lá também.

Alerto, antes de começar o guia que montei: não é comprovado que o canal retorne com dinheiro e sucesso, pois a oferta é imensa, mas fazendo seguindo boas práticas, as chances de você atingir o patamar que deseja são maiores.

E se você está fazendo outra tarefa agora e não pode parar para ler essas dicas e informações, é só apertar o play aqui abaixo para ouvir tudo o que tenho a te dizer pelo Spotify, ou qualquer outra plataforma no seu agregador favorito de podcasts.

O Youtube hoje conta com mais de 31 milhões de canais. Os números são da própria plataforma e isso nos dá um panorama: apenas 0,05% dos canais chegam à 1 milhão de inscritos, e 0,5% chegam à 100 mil.

Ou seja, as chances de “bombar” são pequenas, mas possíveis.

Por isso, vamos ao seguinte passo a passo para começar com o “pé direito”:

PRÉ-ABERTURA

Antes de criar sua conta, abra seu computador ou pegue caneta e folha de papel e faça as seguintes perguntas:

Quem sou eu?

O que eu gosto de fazer?

Como apresento isso?

Nesse ponto, cabe uma sugestão de leitura do Capítulo 6 do livro “EU, S.A” escrito por ninguém menos que Gene Simmons, conhece? Simplesmente o genial músico linguarudo e fundador, junto com Paul Stanley, da banda KISS.

Ele escreveu: “pareça com uma estrela de Rock, aja como uma estrela de Rock e, se você tiver sorte, pode até chegar a ser uma estrela do Rock. Fingir até conseguir”. Vá se acostumando porque vou citar esse livro várias vezes nos próximos posts.

Enfim, respondendo aos questionamentos e definindo onde quer chegar, você dará passos essenciais para uma das características mais bem vistas do Youtube: Identidade.

Repetindo, na parte do “quem é você?” responda se o seu canal trará suas características reais ou se você vai simular um personagem.

Não adianta você criar um personagem se isso não te agradar e da mesma forma não valerá à pena levar sua personalidade para o canal se você não se entende como pessoa.

Os canais mais bem sucedidos são feitos por “creators” que sabem extravasar o que amam, ou o que gostam e sabem onde querem chegar.

Passar conteúdos que você gosta dá mais credibilidade e geram uma maior e mais duradora identificação com o seu público.

Para conferir o que estou querendo te passar, veja os canais dos humoristas de stand up, dos músicos que você acompanha ou até dos cozinheiros que te ajudam no dia a dia com aquela receita que sempre sonhou em cozinhar.

Eles estão completamente focados em passar algo que amam e, por isso, fazem-no muito bem.

E para fechar as respostas, como você apresentará esse conteúdo?

Pensando em Música, será um canal onde você se mostra por inteiro e fala com o público antes do vídeo?

É um tutorial musical onde só você aparecerá da cintura para cima, com o instrumento musical que toca?

É um canal que só vai exibir music videos com composições suas?

São muitas possibilidades, mas precisa entender onde você se encaixa, se é em algum proposta existente ou em algo 100% novo (mais difícil de executar e de ganhar público, mais fácil de fidelizar o público).

Ideias alinhadas, avance pensando no que você consegue fazer.

Nessa parte entram suas habilidades e seu equipamento. Responda:

Quais habilidades você vai precisar para o canal?

São apenas conhecimentos técnicos do que você faz, ou envolverá edição de som e vídeo?

Você fará o roteiro ou ele será escrito por terceiros?

Tente abranger ao máximo todas essas habilidades e, se elas exigirem conhecimentos que você não tem, adquira-os (eu já escrevi como escolher bons cursos e professores aqui no blog SANTO ANGELO) ou converse com quem pode te ajudar nisso, sempre valorizando o trabalho de quem faz.

E para captar tudo isso, quantas câmeras vai precisar?

Você contará com quais recursos de áudio?

Seus instrumentos estão em perfeitas condições?

Seu computador dá conta da edição?

Sua internet é boa para subir os vídeos rapidamente ou responder bem às LIVE’s?

Você pode me dizer: “mas o Whindersson só usava uma camerazinha de um celular simples. Não preciso de muitos equipamentos”.

De fato, não precisa mesmo, porém, conteúdo é rei e, sinto te dizer, o tempo do Whindersson, lá em 2013, com filmagens caseiras, já passou.

Hoje, você pode até captar de qualquer forma, mas entregue o mais original e melhor conteúdo que o seu público possa ver.

Entenda que, quanto melhor a qualidade de áudio e vídeo do seu canal, melhor ele irá se posicionar, além de mostrar o quanto você está comprometido em fazer dar certo.

Uma boa interface e uma câmera DSLR mediana já te colocam em patamares acima nesse começo.

Agora pode ir lá e criar o canal.

ABERTURA

No começo, seu endereço será www.youtube.com/Hyt34hflaot79aHmTGqslç543 (digitei aleatoriamente esse final), porém, com 100 inscritos, você já poderá alterar. Recorra ao seu círculo de amigos e familiares.

Pense na identidade visual e monte a capa, o avatar e crie uma descrição bem atrativa. Ter essas informações (imagem e texto) vão deixar claro à que veio o seu canal e aumentar suas possibilidades de maior alcance.

Assim que possível, nas configurações, ative o AdSense, que permitirá a monetização dos seus vídeos, contanto que eles não firam as diretrizes do Youtube ou cometam algum tipo de violação aos direitos intelectuais (eu já falei disso aqui e aqui no blog SANTO ANGELO em 2015).

Defina também nesse momento a periodicidade.

Ela pode mudar conforme o tempo for passando, porém, é interessante você já ter em mente o dia e horário que seu vídeo irá para o ar.

Definindo isso, além de acostumar as pessoas que vão te seguir, também vai criar uma agenda de produção, onde você sabe que dia precisa subir o vídeo e o tempo limite para produzi-lo.

Dessa forma, faça um cronograma do que produzir.

É indicado que você tenha pelo menos 4 semanas de conteúdo prontas. Isso te garante sempre conteúdo novo e te dá tempo para pensar ou reagir a algo inesperado.

Exemplifico com um canal de tablatura: você tem sua programação de Hard Rock, porém, em uma semana qualquer, um meme novo com MPB aparece. Você pode gravar um novo vídeo para aproveitar a VIBE e jogar para frente as publicações anteriormente produzidas.

Essa segurança também mitiga momentos de afastamento.

A blogueira e participante do BBB20, Manu Gavassi, deixou conteúdo pronto para que fosse lançado em seu Youtube durante a estadia no programa. Ela podia estar distante, mas seu conteúdo continuava sendo postado regularmente.

E nesse ponto você pode me perguntar: e a remuneração?

Ela virá, e de formas diferentes.

O Youtube paga a cada 1.000 visualizações entre U$ 0,65 e U$ 5,00.

A definição do valor é feita pelo algoritmo secreto do Google, então, não posso afirmar qual valor um canal iniciante receberia.

Ganhar dinheiro só com o “page view” é complicado, visto que, para você atingir um salário mínimo brasileiro, você precisaria de cerca de 294 mil visualizações em um único mês. Nada fácil para canais pequenos.

Já o AdSense (que eu comentei para ativar) paga 68% do valor investido no clique.

Resumindo: um anunciante vai até o Google Adwords (ferramenta de publicidade do gigante das buscas) e coloca que está disposto a pagar R$ 2,00 por clique nos anúncios dele.

Se esse anúncio aparecer no seu canal (devido às tags do vídeo, que você coloca na hora do Upload) e a pessoa clicar, você ganha R$ 1,36.

Arriscado também, já que imagino que todos nós pulamos mais de 90% os anúncios, correto?

Para o AdSense eu recomendo que, depois de um tempo, você vá para uma Network (redes de Youtube que condensam certo tipo de conteúdo, como a OneRPM, cujos detalhes você poderá estudar nesse outro post.

A efetividade e as cifras aumentam bastante pelo conteúdo ficar circulando entre vários canais.

Conforme seu canal for crescendo e seu conteúdo for ficando relevante, as verdadeiras oportunidades vêm.

Anunciantes e parcerias podem surgir (que você for atrás ou que vierem atrás de você) e, a partir daí que a conversa sobre dinheiro começa a ficar melhor, pois os famosos “jobs” geram um retorno financeiro melhor em troca da sua base de influenciados e espectadores.

Mesmo olhando esses números e esse passo a passo, a única certeza que consigo afirmar para você, leitora e leitor, é que dá trabalho.

Ter retorno sobre um canal de Youtube não é fácil, mas tenho a sensação, depois de todo esse tempo conversando com Youtubers da Música e de fora dessa área, que a experiência é engrandecedora e sim, traz retornos infindáveis.

Seja a grana do Google, sejam novos alunos, novos fãs do seu trabalho, os frutos do seu esforço serão colhidos de uma forma ou de outra.

E eu torço particularmente para que dê certo. Aliás, não somente eu, mas toda a galera da SANTO ANGELO torce e te deseja muito Sucesso.

E me conta: já tem seu canal? Ele é lucrativo? Quanto de trabalho você tem para mantê-lo? E se não tem, o que está esperando para ter e mostrar o que você sabe fazer.

Espero que as ideias desse post te ajudem a montar um canal YouTube bem sucedido e que traga muitas alegrias e novas conquistas.

Espero vê-lo em breve lá no play vermelho.

Um abraço!

 

 

Dan Souza (IG: @danhisa) é músico e profissional de Marketing, Relações Artísticas, Branded Content e Music Business, formado pela UNINOVE.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *