Você é o que vemos nas redes sociais.

por Carolina Gasparini

Facebook, WhatsApp e Twitter são verdadeiras febres mundiais e tornam o smartphone praticamente uma extensão de nossos braços, uma vez que não o largamos nem para tomar banho. Exageramos, com certeza, mas o objetivo foi enfatizar que utilizar as redes sociais pode ser algum extremamente benéfico e agradável, mas também pode se tornar um vício e um grande problema.

A máxima “você é o que você compartilha” é uma das premissas para utilizar as redes sociais com cuidado e inteligência. Na vida real, costumamos ouvir “Diga-me com quem andas e te direis quem és” e no mundo virtual vale a mesma máxima. Quem você segue, o que curte e compartilha definem sua “persona” virtual e podem aumentar seu número de seguidores ou acabar com sua reputação.

400x150 001

Pense da seguinte forma: você, músico, acabou de entrar em uma banda sertaneja. No entanto, adora Black Metal e passa o dia compartilhando vídeos e fotografias de suas bandas preferidas. Sua reputação profissional pode acabar abalada uma vez que quem for procurá-lo pelo sertanejo, certamente irá se decepcionar quando encontrar um perfil diferente.

Calma, também não é para deixar de curtir o que você gosta. É apenas para saber separar suas preferências e vida pessoal da sua carreira como músico profissional. Outra situação constrangedora: você é endorsee de uma marca e aparece em fotografias e shows utilizando um concorrente. Também não precisa exagerar e “borrar” uma marca diferente do seu patrocinador, pintada ou adesivada na parede de uma loja ou escola. O mundo dá voltas e com certeza, esse seu gesto será levado em conta quando precisar da empresa cuja marca você detonou no vídeo.

Uma boa dica para evitar saias justas e problemas com sua imagem profissional na rede é separar seus perfis. Criar um perfil pessoal, apenas com seus familiares e amigos e alterar as configurações de privacidade para que apenas eles visualizem as postagens. Faça outro perfil (ou fanpage) profissional, para o público em geral, especialmente se utiliza nomes artísticos para tocar e assim ter um pouco de sua privacidade resguardada.

400x150 002

Apesar de parecer dicas profissionais até mesmo caretas, as três coisas a se esconder nas redes sociais presentes nesse link da Universia podem auxiliar os músicos a saber o que não postar.

Dar atenção aos fãs

Outro ponto interessante das redes sociais: elas permitem que seus fãs procurem seu perfil e entrem em contato com você. Para muitos isso pode parecer maravilhoso, mas com o tempo a grande quantidade de mensagens pode se tornar insustentável de ser gerida.

Apesar de parecer bobeira, controle o ego e responda as dúvidas de seus fãs. Agradecer um elogio recebido também demonstra carinho e dedicação. Caso realmente se interesse, você pode até mesmo seguir de volta o fã, que se sente lisonjeado (ou histérico como essa fã de Justin Bieber que recebeu o clique de volta) com um ato que basta um clique para ser feito.

400x150 003

Também é necessário um pouco de jogo de cintura para lidar com críticas e ofensas. Existem alguns fãs que se exaltam e perdem a linha, mas cabe a você tomar o controle da situação e impor limites. Responder na mesma moeda quase nunca é uma boa opção. Tente ser paciente e responder educadamente, mesmo que sua vontade seja o total oposto do que prezam as regras de etiqueta (algumas regras de etiqueta para internet você pode ver aqui). Se for muito ofensivo, não responda e esqueça.

O que publicar?

Saber o que devemos ou não publicar em nossos perfis quando somos músicos e precisamos lidar com o público é algo que pode parecer complicado, mas não é. Não existem regras, o perfil é seu e você pode publicar o que quiser. No entanto, precisa estar preparado para críticas e “haters”, indivíduos com imenso prazer em desancar os outros.

Divulgar vídeos, fotografias e informações sobre a sua carreira é interessante, pois entretém seus seguidores e dá a impressão de que você se preocupa com eles, dando atenção e inserindo novos materiais. Marcar horários para bate-papos e criar grupos para seus seguidores também atraem cada vez mais público e agrega valor ao seu perfil ou fanpage.

400x150 004

Até mais importante do QUE você vai publicar é COMO você fará isso. Publicar a cada 5 minutos pode tornar seu perfil ou Fanpage desinteressantes aos seus leitores, assim como ficar dias sem dar sinal de vida. Pode parecer tosco, mas avisar seus seguidores de que entrará em turnê e, portanto, ficará com acesso limitado à rede, é um sinal de boa educação online. Confira nesse link mais dicas de sucesso nas redes sociais.

Como aparecer mais no Facebook?

Enquanto algumas (raras) pessoas preferiam sumir do mundo virtual, outros enxergam nas redes sociais uma boa possibilidade de divulgação de seu trabalho e material, angariando mais fãs e até mesmo patrocínios. Para isso, é preciso ser visto, o que não é muito fácil analisando que o Facebook, por exemplo, possui cerca de 1,32 bilhão de usuários no mundo todo (88 milhões só no Brasil). Ninguém quer ser apenas mais um nessa multidão.

Recentemente o Facebook alterou algumas de suas configurações sobre quantas pessoas são atingidas por posts de fanpages. Agora, cada vez menos pessoas recebem os posts e para aumentar isso, além de precisar aumentar demais o número de seguidores, as empresas (e músicos) precisam impulsionar seus posts, pagando pela publicidade.

400x150 005

Sim, parece um absurdo, uma vez que criar um perfil na rede social de Mark Zuckerberg sempre foi e sempre será de graça, como a empresa sempre propagou, mas não podemos falar que alguma vez eles se comprometeram com a gratuidade das fanpages. Por isso, ao montar seu planejamento financeiro, inclua na verba destinada a marketing uma quantia para aparecer mais no Facebook (quanto mais visibilidade você desejar, maior será a quantia desembolsada, mas os anúncios podem ser patrocinados com R$1 por dia).

Utilizar as redes sociais para o bem da sua carreira não é algo impossível, apenas requer um pouco de cuidado e atenção. Todo mundo fica conectado praticamente 24h por dia e não dar atenção a esse público é um erro para sua carreira e visibilidade.

E aí, pessoal? Quais são as suas dicas de uso das redes sociais? Já foram respondidos e bem ou mal tratados por artistas/bandas? Dividam seus comentários e opiniões com todos nós!

Até a proxima.