Bem-vindo ao blog da Santo Angelo!

Cabos e acessórios SANTO ANGELO é na Music Jungle
Compre já!

Roadie: trabalhando nos bastidores

holding-1

Olá Pessoal, tudo tranquilo?

Quando você curte um grande show ou até mesmo uma bela apresentação em um bar bacana, sempre observa que tudo está na mais perfeita harmonia, certo?

Já refletiu que sempre existe um profissional que cuida dos instrumentos, amplificadores, cabos e toda aparelhagem técnica nessas situações?

Um profissional fundamental para o mundo do show business, mas que muitas vezes é desconhecido pelo público. Entretanto, ele é essencial para os músicos e a equipe envolvida: os roadies.

Se você gosta de movimento, vivenciar novas experiências e sempre sair da rotina, tudo sem deixar a música de lado, tenho certeza que vai gostar de saber mais sobre esta área de atuação e, quem sabe, dela fazer parte.

A profissão de Roadie é relativamente nova (desde que bandas começaram a se profissionalizar e não querer “carregar peso”), principalmente aqui no Brasil (nos EUA ela já é reconhecida oficialmente)

Muitos confundem Rodies com os “Guitartechs”, que seriam uma subdivisão da profissão, uma vez que os profissionais que cuidam do Áudio e Iluminação também estão englobados nessa classificação.

Na terra do Tio San, a equipe de roadies é conhecida por “road crew” (ou “equipe de estrada” em tradução livre).

No início, a função principal de um Roadie consistia em carregar os equipamentos (de palco, cenários, áudio, iluminação e dos músicos ou artistas da turnê) nos grandes shows e eventos.

Além disso, eram responsáveis pela montagem e desmontagem dos equipamentos dos shows e posterior carregamento de volta aos caminhões. Incumbências que continuam até hoje.

Ou seja, a galera que chega primeiro e que vai embora muito mais tarde que o público.

Porém, a profissão evoluiu e hoje esses profissionais ganharam reconhecimento e estão presentes em todos os shows e atuando por todo o País.

Nesse post, falaremos sobre os roadies que atuam mais próximos aos músicos e nos posts futuros trataremos dos roadies (ou técnicos) de áudio e iluminação.

Apresentamos o Shin-Iti Riccelli Ikehara que é professor de violão/guitarra no IMKS e Roadie do nosso endorsee Kleber K. Shima, nas bandas Go Ahead e Hot Rocks. Ele nos dará mais detalhes de como é a vida de um roadie de artistas.

SANTO ANGELO: Quem é o Shin-Iti Riccelli Ikehara e com quem você trabalha hoje como Roadie?

 imagem-001

SHIN-ITI RICELLI: Sou guitarrista e professor há mais de 10 anos. Hoje trabalho também como roadie para as bandas da noite paulistana Go Ahead e Hot Rocks.

SA: Quais são as competências necessárias para ser um Roadie?

SR: Acredito que gostar de instrumentos é primordial. Muitas vezes contratempos inusitados aparecem, como uma roldana que se solta de uma guitarra, uma corda que quebra no meio de uma música, uma pele de bateria que rasga. Então, devemos estar sempre prontos pra resolver todos esses problemas no meio de uma música e outra, quase sempre sem interromper o show.

Outra competência é a pro-atividade. Você vai carregar instrumentos e equipamentos para lá e para cá (recomendo cuidado com postura e saúde também), logo, precisa oferecer seus préstimos aos músicos da banda para que o show saia impecável.

hot-540x332

SA: Quais são os equipamentos mais comuns na mochila de um Roadie?

SR: Os equipamentos mais comuns são chaves Philips, chave Allen, chave de afinação de bateria, clamp para chimbal, adaptadores de tomada para os vários padrões usados no Brasil, enrolador de cordas (elétrico de preferência), fitas adesivas, colas e tudo que puder agilizar pequenos reparos. E energéticos, para aguentar várias noites (rs).

SA: Quem está começando hoje, o que deve fazer para se destacar na área?

SR: Buscar informação e treinamento é essencial. Existem vários cursos hoje que ajudam muito na formação de um roadie, e ter a curiosidade de mexer em seus próprios instrumentos também é fundamental.

imagem-004

Mesmo com prática, ainda é complicado manusear instrumentos que são de outros músicos, por isso é essencial ter o costume de montar e desmontar, de tempos em tempos, o seu próprio equipamento e conhece-lo detalhadamente.

Além disso, conhecer sobre regulagens de amplificadores e pedais, alturas de tambores de bateria, posicionamento de PA e outros equipamentos e também sobre equalização do som da banda, pois o roadie acaba sendo a primeira referência dos músicos se o som realmente está adequado ou não.

Basicamente, não fazer corpo mole.

SA: Quais são os maiores desafios da profissão?

SR: Trabalhar muitas vezes durante o dia e de noite, se deslocar muito de um trabalho para outro, muitas vezes até viajar em uma noite e estar de volta no dia seguinte para o próximo trabalho.

Outra coisa é que por mais que sempre nos mantemos informados, tentando aprender coisas novas, sempre aparece uma situação para o qual você não sabe como resolver, e aí a única alternativa é usar a criatividade, e torcer para que dê certo!

SA: Qual mensagem você deixa para quem desejar seguir na carreira de Roadie?

SR: É uma profissão muito puxada, têm que estar disposto a certos sacrifícios, mas para todo amante de música e instrumentos, vale muito a pena. Todos os profissionais no backstage são essenciais para um bom show. Além do mais, você consegue construir uma network invejável nessas andanças e trabalhos.

Portanto, fazemos parte de cada apresentação de uma forma ativa e, muitas vezes, determinante. É uma arte por si só. Boa sorte e sucesso para todos os que almejam seguir este caminho.

Obrigada Shin-Iti Riccelli, por dividir sua trajetória dentro da música e dos bastidores. Desejamos ainda mais sucesso e reconhecimento.

Pensou em novas possibilidades com a carreira de sucesso do nosso entrevistado? A profissão envolve planejamento, organização e dedicação, assim como, a carreira de um músico que necessita de muito estudo e networking.

Qualquer dúvida, comente aqui no blog ou nas redes sociais da SANTO ANGELO.

Abraços e até a próxima!

Lygia Teles, é Relações Públicas e pós-graduanda em Gestão de Marketing pelo SENAC-SP. Desde janeiro/16 integra a equipe de Marketing e Comunicação da SANTO ANGELO.




  • Gabriel Delano

    Tenho uma dúvida de como eu faço pra me tornar um roadie… como seria a proposta ou pra quem eu teria que chegar e contatar sobre a possibilidade de me tornar um roadie… alguém pode me ajudar?

    • http://www.santoangelo.com.br/ Santo Angelo

      Olá Gabriel, blz?

      Além das informações e conhecimentos técnicos que você precisa previamente, é interessante pesquisar as bandas que, na sua cidade, se destacam (àquelas que fazem mais shows). Depois disso, entre em contato com o site/página do Facebook deles enviando seu curriculum. Se eles estiverem precisando de roadie, com certeza entrarão em contato.

      Pense também em grandes bandas e artistas nacionais, pois eles podem ter mais vagas.

      Um abraço e vlw por comentar.

  • Davi Moreira Duarte

    Eu trabalhei muitos anos de roadie 17 ao todo. Gostava muito bastante adrenalina….. Me realizava no palco. Sou músico também baterista, mas tive que aprender bastante sobre cordas, afinando, regulando trocando cordas e etc. Quando comecei não existia cursos e fui aprendendo sozinho e com ajuda de amigos. Hoje infelizmente não estou atuando mais, devido ter carregado muitos equipamentos como caixas, percussão, batera, luz e etc deu uma prejudicada.
    Mas tenho muita vontade de voltar pra estrada.
    Um abraço! !!