Vantagens e desvantagens de cursar uma faculdade de música

2018-07-23 (1)

Olá amigos, tudo bem?

Antes de tudo, agradeço aos comentários ao meu primeiro post aqui no blog SANTO ANGELO e, em especial, ao Jordan Hohenfeld por ter dividido sua experiência com todos.

Parabéns, Jordan, continue em busca e tudo de melhor em seu caminho. A faculdade de música com especialidade em Composição é fascinante (Para quem ainda não o conhece, Jordan estuda na UFBA- Universidade Federal da Bahia)

Para quem está lendo essa série de posts sobre Bacharelado e Licenciatura em Música pela primeira vez, meu nome é Djalma Lima, musico e professor universitário.

Recomendo também que leia meu post anterior, para conhecer um pouco sobre o que penso em Motivação para seguir adiante com a carreira musical clicando aqui

008

Mas embora motivado, por que a indecisão em fazer ou não uma faculdade de Música?

Sei que o tema é polêmico e você certamente deve estar pensando que boa parte de nossos ídolos não cursaram uma universidade, como por exemplo: Charlize Parker, John Coltrane, Sonny Rollins, Tom Jobim, Hermeto Pascoal (a lista é longa…) não é mesmo?

Note que não estou julgando suas dúvidas em tomar essa decisão, mas se continuar lendo, verá que apresentarei algumas vantagens e desvantagens de seguir estudando Música, as quais poderão te auxiliar a chegar numa resposta com mais tranquilidade.

A verdade é que esse assunto, de cursos superiores em Música, tem uma história bem recente.

Em 1945 foi fundada em Boston/ Massachusetts, nos Estados Unidos, a Schillinger House, primeira escola superior com a proposta de ensinar a música popular norte-americana da época, especialmente o Jazz.

Se nunca tinha ouvido falar nesse nome, certamente a reconhecerá quando souber que, em 1954, a escola mudou o nome para Berklee College of Music

10

Sim, a famosa escola de Música que veio, principalmente a partir dos anos 70, formar grandes nomes do jazz.

Digo a partir dos 70 pois foi em 1963 que a Berklee se tornou o primeiro curso superior de graduação em Música Popular Americana do mundo. No caso, o Jazz.

Aqui, no blog SANTO ANGELO, existe o depoimento de um ex-aluno da Berklee, o guitarrista Mateus Starling, que você poderá acessar clicando .

No Brasil, a Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) foi pioneira, tendo fundado seu curso superior em Música Popular em 1988. De lá para cá, cursos superiores em música se espalharam pelos quatro cantos do país.

Por essa história recente, acredito que as opinião são divididas. Mas, vamos lá:

Com 15 anos de experiência no ensino superior, observando alunos com os mais diferentes perfis, acredito que os principais benefícios em cursar uma faculdade de música são:

vantagens-desvantagens-ead1

Universo Musical – na faculdade, você é exposto a uma série de assuntos. Mais de uma vez, vi alunos que entraram na faculdade focados somente em determinado instrumento acabarem se encontrando em outra área do curso, como por exemplo: Harmonia, Arranjo, Composição, História, e Docência, entre outras.

Vida profissional – Devido ao alto investimento de tempo ao cursar uma faculdade, muitas vezes fica difícil trabalhar profissionalmente. Note que não disse impossível, porque sempre se pode trabalhar online e ser remunerado por isso.

Custo – Se você não ingressar em uma universidade pública, o curso numa particular geralmente custa caro (tanto para entrar como para se manter estudando)

Colocando na ponta do lápis, quatro anos de mensalidades é um investimento bastante grande se você não contar com bolsas de estudo ou algum financiamento estudantil tipo FIES, ou Financiamento Estudantil.

O FIES é um programa do governo federal, criado em 1999 em substituição ao Programa de Credito Educativo PCE/CREDUC. Se quiser saber mais, separei esse link sobre as notas e corte do FIES para Música (https://querobolsa.com.br/fies/notas-de-corte/cursos/musica).

Especialidade – Já vi pessoas preferindo investir em aulas particulares, podendo dessa forma, focar nas especialidades que mais lhe interessam. Dessa forma, você conquista um conhecimento menos vasto, porém, mais profundo.

Interesses “diferentes” – É verdade: nem todas as matérias com as quais você terá contato são do seu interesse. Algumas delas talvez façam sentido em sua vida. Outras nem tanto.

Enfim, como já disse, é muito difícil tomar a decisão em fazer ou não uma faculdade de Música, mas, espero ter ajudado de alguma forma.

Converse com diferentes pessoas, profissionais com e sem graduação, antes de decidir.

Além disso, pesquise suas áreas de atuação. Veja com quais delas você se identifica e se, nessa determinada área, cursar ou ter cursado uma faculdade de Música é essencial, apenas útil, ou totalmente desnecessário.

A decisão final é sua, porque se trata da SUA vida. 

Sempre lembrando que sua opinião, crítica ou dúvida podem contribuir para o debate e conhecimento de todos. Não se envergonhe em registrá-la aqui no blog ou nas redes sociais da SANTO ANGELO.

Mesmo porque, os meus próximos posts poderão ficar ainda mais esclarecedores com a sua participação e de seus amigos.

Por isso, compartilhe esse post com todos que, como você, pensam em cursar uma faculdade de Música.

Abraços e até a próxima.

Djalma Lima é professor universitário nas Faculdades Santa Marcelina e Faculdades Cantareira.