17 passos para desvendar os mistérios de um texto

por Dan Hisa

No post anterior, mencionamos o problema brasileiro do alto analfabetismo funcional. É triste, mas sabemos que existe uma galera esforçada que não quer ficar dentro da estatística dos 75% dos alfabetizados que não entendem o que leem (clique para ler mais). E com o ENEM batendo a porta, bate também para aquela galera, o desespero por causa das benditas questões de Interpretação de Texto.

IMG 4

Avisamos que esse post é um treinamento, não só para provas, mas para qualquer situação na vida que você tenha que enfrentar um texto difícil. Mas fiquem espertos para não se acomodarem e seguir fazendo exercícios similares, que tanto nos ajudam a entender mais o que se passa a nossa volta.

O que você vai encontrar abaixo são algumas dicas interessantes para melhorar o entendimento quando precisar interpretar um texto, seja ele em um teste da faculdade, no seu emprego ou mesmo uma música que você curtiu e queria entender o que o autor quis dizer através da letra.  Vamos lá?

1. Leia todo o texto. Com calma e sem ficar com medo devido ao tamanho dele (você já deve ter ouvido “caramba, esse texto tem três páginas!!”). Caso encontre palavras que não conheça, continue mesmo assim, às vezes você pode entender o significado dela no decorrer da leitura.

2. Repita o passo anterior: leia de novo. Parece inútil, mas a primeira leitura tem um caráter mais informativo, mostrando o tema geral e as palavras mais importantes (grife, se precisar). Já a segunda leitura é quando realmente começa a interpretação, onde você, já familiarizado com o assunto, compreende o que é dito, analisa e sintetiza as informações.

3. Atenção à questão. Seja esperto e entenda o que se pede (sim, interprete também o enunciado da eventual pergunta). Pode ser que tenha que extrair as ideias gerais do texto ou apenas analisar um parágrafo específico. A atenção fará com que você perceba algumas ideias nas “entrelinhas”.

4. Sublinhe as palavras “estranhas”. Caso tenha acesso a um dicionário, abra-o e pesquise o significado. Caso contrário, anote para descobrir depois, aumentando seu vocabulário.

IMG 5

5. O texto está ali, e não fugirá de você. Volte e releia quantas vezes forem necessárias para que você capte bem as ideias ali expressas.

6. “Desapega, desapega[1]. Esqueça as suas ideias preconcebidas, pois nesse momento o que prevalece é a ideia de quem escreveu o texto. Seja neutro para absorver melhor o conteúdo.

7. Faça um picadinho. Caso ainda tenha dificuldades na leitura corrente do texto, fragmente-o. Divida-o em pequenas partes e leia com atenção cada uma delas, voltando se necessário. Assim, você não perde nada. Aproveite, caso as questões peçam trechos específicos para se focar no parágrafo pedido.

8. “¿Cuál es la pregunta?”. Já foi dito, mas não custa repetir. Leia a pergunta também com calma, verificando o que ela pede para ser certeiro na resposta. E lembre-se, vocábulos (destoa, não, correta, incorreta, certa, errada, falsa, verdadeira e exceto) podem te confundir. A dica é grifá-los, para não deixar que eles te enganem (cuidado se a pergunta pede qual das alternativas NÃO se adequa ao texto e você responde qual SE adequa: bola fora de bobeira).

IMG 2

9. Tem alternativa, então dá pra chutar. Não faça isso, caso for um teste. Caso haja dúvida em duas respostas, analise-as com calma e veja a mais completa delas. Também utilize o processo de eliminação (sempre tem algumas alternativas bem absurdas) que ele te ajudará na resposta.

10. “Em defesa da minha opinião”. O autor defenderá ideias e você deve acha-las. Não é uma caça ao tesouro, pois elas estão ali, subentendidas. Procure os fragmentos lógicos do texto e você terá a recompensa na mão.

11. “Pegadinha, HÁ!”. Às vezes (muitas vezes) dados superficiais na pergunta podem te confundir. Ache o que realmente é pedido para responder a pergunta. Observe que algumas perguntas são bem extensas e cheias de números e dados, mas se você filtrar isso (e não ter medo daquele monte de linhas) a pergunta estará na sua cara.

IMG 3

12. “Isso é verdade?”. Não se preocupe com se o que o autor disse é verdade absoluta. Entenda o sentido do que ele quer dizer para responder com perfeição.

13. DENÚNCIA. Pode acontecer que a semelhança ou a etimologia das palavras utilizadas na pergunta já te dão a resposta sem muito esforço.

14. “Você se lembra da análise sintática, aluno?”. Adjuntos adverbiais e predicativos do sujeito são importantes para te ajudar a interpretar o texto. Estude também como fazer a análise sintática, para ajuda-lo mais ainda. Exemplo:

  • Ele morreu de fome. (Adjunto Adverbial de causa).
  • Ele morreu faminto. (Predicativo do Sujeito, estado em que ele se encontrava ao morrer).

15. Ligue para saber. Quando os adjetivos estiverem ligados a um substantivo, eles definem melhor a expressão, deixando mais fácil enxergar o significado.

16. “Isso parece com isso, mas é inverso disso”. Faça exercícios de sinônimos e antônimos, é simples e te ajuda muito com seu vocabulário e interpretação.

17. Transforme-se em um dicionário. Além de ler sempre (livros didáticos, romances, fantasia e histórias em quadrinhos) também faça palavras cruzadas. Elas ativam seu cérebro de uma forma que você sempre terá uma palavra na ponta da língua (ou do lápis).

IMG 1

Espero que essas dicas te ajudem não só hoje, mas no decorrer da sua vida. Seja um(a) grande guerreiro(a) e inspire medo nos textos que cruzarem o seu caminho, e não deixe que o contrário aconteça.

No próximo post, abordaremos redação até chegarmos na criação de letras de Música.

Enquanto isso faça alguns exercícios bem legais clicando AQUI.

Aproveite e leia mais nos posts que iniciaram a série:

Até a próxima!

[1] Menção ao slogan da OLX, empresa de comércio online.